28 de setembro de 2021
Campo Grande 36º 22º

VILA SOBRINHO

Correndo contra o tempo, pais fazem vakinha para que bebê de 5 meses não perca a visão

Neném identificada com doença na visão tem pouco mais de 1 mês para fazer cirurgia cara que lhe permitirá continuar enxergando

A- A+

A bebê Lívia Silveira de Souza, de cinco meses, precisa com urgência passar por uma cirurgia considerada cara para o padrão de vida dos pais. Caso isso não ocorra, ela corre sério risco de perder a visão.

Campo-grandenses, Eduardo Silveira Pereira, de 25 anos, e Tainá Kelem de Souza Teixeira, de 24 anos, estão correndo contra o tempo para pagar o procedimento que custa R$ 10.400 mil. "A gente está desempregado no momento, mas estamos fazendo rifa, estamos fazendo de tudo com algumas doações, mas assim, não chegamos nem na metade ainda desse valor", explicou o pai.  

Conforme o relato, a menina nasceu com uma doença chamada ‘catarata congênita’ no olho esquerdo. "A gente foi fazer uma consulta de rotina, há tempos a gente vem observando que o olhinho dela é meio tortinho. Nós passamos por um especialista na quarta-feira [passada], onde foi constatado que ela tem catarata congênita... e a especialista disse que precisa fazer uma cirurgia urgente e... antes dos 6 meses, para que ela tenha chance de recuperar a visão com maior porcentagem", esclareceu o pai.  

Os pais explicam que já estão na fila pela cirurgia no Sistema Único de Saúde (SUS) que sairia gratuito, mas devido a urgência, eles estão buscando a possibilidade de conseguir pagar uma cirurgia particular. “Estamos fazendo uma rifa no valor de R$ 20 ou então aceitamos qualquer valor de quem queira doar, até R$ 1 real já nos ajuda muito”, postou o pai da bebê em seu perfil no Facebook.

Ele contou ao MS Notícias que Tainá abriu uma Vakinha virtual [CLIQUE PARA DOAR] para quem possa ajudar.  

Além de doações em dinheiro, Eduardo pede uma corrente de orações a fim de curar a linda Lívia. 

O Pix de Eduardo para depósito de qualquer quantia é 05530999140.

DOENÇA

A pequena Ana Lívia A pequena Lívia 

A catarata congênita é uma alteração do cristalino que se desenvolve durante a gestação e, por isso, está presente no bebê desde o nascimento.

O principal sinal indicativo é a presença de uma película esbranquiçada, que pode ser percebida nos primeiros dias de vida ou depois de alguns meses.

De acordo com o laudo médico, a bebê possui estrabismo convergente associado e se não tratar os problemas de visão antes dos seis meses, corre o risco de ter perda total e irreversível da visão. Por isso, os pais correm contra o tempo em busca de recursos para financiar a cirurgia.

Outra questão complicadora é o risco de não desenvolvimento da chamada estereopsia, que é a visão tridimensional, a percepção de distância e profundidade das imagens por meio da interpretação cerebral. Isso só ocorre com a visão binocular.