22 de junho de 2021
Campo Grande 28º 16º

Fundac realiza Quinta Gospel e corre o risco de ser multada

A- A+

O Fundac (Fundação Municipal de Cultura) realizou ontem o projeto cultural chamado de Quinta Gospel, que está sendo repercutindo por conta de realizar apenas shows de segmento religioso cristão, favorecendo então somente as pessoas que pertencem a este grupo religioso. O MPE (Ministério Público Estadual) ajuizou ontem uma Ação Civil Pública contra Campo Grande e Fundac, pleiteando que os requeridos se abstenham de favorecer determinados grupos e religiões, seja no projeto “Quinta Gospel” ou em qualquer outro projeto semelhante do Poder Executivo Municipal, devendo atuar segundo balizas político-sociais do interesse público e de não se pautar em dogmas religiosos, assim como para determinar ao município que cancele o evento “Quinta Gospel” marcado para ontem, sob pena de multa cominatória diária em valor a ser fixado pela Justiça para a hipótese de descumprimento da ordem judicial por parte dos requeridos. A diretora-presidente da Fundac, Juliana Zorzo disse hoje a reportagem que não foi comunicada de nenhuma decisão e que se isso acontecer tomarão as providências cabíveis. “A gente não foi notificado ainda, nós não temos conhecimento. Assim que tivermos conhecimento, ou formos notificados a gente vai tomar providência, estamos aqui para cumprir a lei”, disse Juliana. Juliana também disse que a “Quinta Gospel” continuará com o seguimento religioso evangélico (cristão) até que a Câmara de Vereadores aprove o Projeto de Lei nº 7.825, de 4 de setembro de 2014, que institui a Quinta Cultural e revoga a Quinta Gospel, de autoria do vereador Eduardo Romero, que está em tramitação e não foi incluída da na pauta da 72ª Sessão Ordinária da Câmara Municipal. “Vai mudar se a Câmara Municipal aprovar, depende do legislativo, caso eles não aprovem vai continuar igual”, concluiu Juliana Zorzo. Já o prefeito Gilmar Olarte (PP) disse que respeita o trabalho do MPE (Ministério público Estadual), mas que a prefeitura em momento algum infringiu ou descumpriu lei.  “A realização da Quinta Gospel foi aprovada em lei pelos vereadores de Campo Grande, nós não fizemos nada de errado até porque não fomos notificados sofre a decisão do Ministério Público Estadual e não existe nada de errado em cumprir uma lei”, afirmou. Já em relação ao risco de pagar uma multa Olarte disse que o departamento jurídico vai cuidar do assunto, mas acredita que não haverá necessidade porque a prefeitura agiu de acordo com a lei. Leide Laura Meneses e Heloísa Lazarini * Matéria editada  às 11:58 hs para acréscimo de informações.