03 de agosto de 2021
Campo Grande 30º 14º

Buraqueira

Motorista não consegue desviar, cai em buraco e contabiliza mais um prejuízo com pneu e roda

A- A+

A 'epidemia de buracos', como disse recentemente o prefeito de Campo Grande, Alcides Bernal (PP), tomou conta da Capital e fez mais uma vítima. 

No início da tarde desta terça-feira (2) por volta das 14 horas, uma família que trafegava pela Rua Cristóvão Lechuga Luengo, no bairro Mata do Jacinto, caiu com o carro, um Peugeot, em uma buraco e além do susto sofreu outro prejuízo: um pneu rasgado e uma roda entortada. Segundo dono do carro, armador Valtuídes Santana dos Santos, 42 anos, não foi possível desviar do buraco, pois havia um ônibus vindo na em sua direção na outra pista da via. 

Ivanir, esposa de Valtuídes, conta que esta não é primeira vez que a família sente no bolso os efeitos da "epidemia de buracos". Há menos de um mês, segundo a cozinheira, eles gastaram R$ 2.500 para trocar toda suspensão do veículo após caírem em um buraco na Avenida Coronel Antonino. Agora, Valtuídes já fez as contas e diz que deve gastar pelo menos R$ 300 para consertar a roda e repor pneu.

O casal que estava com filha de nove anos, se diz revoltado não só pelo prejuízo financeiro, mas pelo que eles chamam de "falta de consideração" da Prefeitura. "Na hora de cobrar IPTU, o documento chega direitinho em casa, mas eles não estão tomando providências necessárias, porque essa questão de tapa-buraco é prioridade, dá prejuízo e dor de cabeça e é perigoso. Dois motociclistas já morreram na cidade", desabafa Ivanir.