26 de fevereiro de 2021
São Paulo 39º 24º

Lixão

MP recebe catadores para discutir a questão da UTR

Está marcada para esta terça-feira (22) uma reunião no Ministério Público Federal, com a presença das lideranças dos catadores do lixão e algumas autoridades para tratar da questão de uso da UTR na capital.

A construção da UTR faz parte da política nacional de resíduos sólidos (PNRS) instituída pela lei nº 12.305/10, que contém instrumentos importantes para permitir o avanço necessário ao país no enfrentamento dos principais problemas ambientais, sociais e econômicos decorrentes do manejo inadequado dos resíduos sólidos.

No encontro a comissão vai requerir a reabertura do lixão para que os catadores possam voltar a trabalhar no local, ou então a readequação da UTR para atender mais trabalhadores.

Na última segunda-feira (21) os catadores realizaram um bloqueio na BR-262 afim de pressionar o poder público para autorizar o trabalho deles no lixão. Desde o dia 29 fevereiro desse ano, começou a ter validade uma ordem judicial que impede catadores de reciclagem de entrar no aterro sanitário.

Segundo o vereador Alex do PT (PT) O foco da PNRS deve ser o catador, não a empresa responsável pela coleta de lixo. Segundo ele o principal problema é que a UTR construída tem capacidade para apenas 90 trabalhadores, porém existem mais de 400 catadores aqui na Capital.

“A nossa defesa é que a gestão municipal não se omita no que tange a Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS), essa política não é para o monopólio e sim para os catadores. O centro da PNRS é o catador, nós queremos que em campo grande ela seja incorporada como uma prática política, o que está acontecendo é que os catadores em sua maioria não estão integrados a UTR”, disse ele.