20 de junho de 2021
Campo Grande 25º 13º

MAIO LARANJA | VIOLÊNCIA SEXUAL

Na Capital, 66% das vítimas de violência sexual são meninas de 6 a 13 anos

Maioria dos crimes são cometidos por pessoas próximas das vítimas, com laços familiares; Operação hoje (18. maio) tirou de circulação 20 condenados por crimes sexual apenas em Campo Grande

A- A+

Durante a Operação “Araceli” (força-tarefa entre o Ministério Público de Mato Grosso do Sul, a Polícia Civil e a Polícia Militar de MS) foram presos hoje (18. maio) 20 condenados por crimes sexuais. Somado com 10 presos na semana passada, ao todo foram tirados de circulação 30 condenados. 

O Ministério Público disse em coletiva à imprensa nesta manhã que a ambição era que fossem cumpridos 27 mandados de prisão, desses, 20 foram cumpridos. Foram presos condenados escondidos no Aero Rancho, Parque do Sol, Jardim Centenário, Jardim Canguru, Santa Emília, Tarumã, Moreninhas, Jardim Noroeste, Jardim Inápolis e Zé Pereira.

Os mandados foram expedidos pela 7ª Vara Criminal de Campo Grande. Os presos foram condenados por crimes praticados contra crianças e adolescentes, a maioria por abuso e exploração sexual.

De acordo com o MP, só em Campo Grande – 96% das vítimas de violência sexual são do sexo feminino de tem de 6 a 13 anos de idade – “são as maiores vítimas desse tipo de prática” – Há ainda 13% de vítimas de 1 a 5 anos. 

Os investigadores dizem que 96% dos autores possuem vínculos familiaridade com as vítimas. “Isso talvez reflita essa dificuldade de denunciar. É uma situação bastante delicada”, disse autoridade do MP. 

Todos os presos são enquadrados por crime hediondo e irão cumprir pena em regime fechado com pena mínima de 8 anos. “E agora vão dar entrada no sistema prisional para cumprir a pena em regime fechado. Esse condenado necessariamente começa cumprindo a pena em Regime Fechado”, explicou o Promotor de Justiça Marcos Alex Vera de Oliveira.

Foram empregados 80 policiais na coleta de dados e busca de dados (período antes de ir para rua). Nas buscas, na rua, foram empregados 150 policiais militares.

A Polícia Civil disse que empregou 128 Pcs – divididos em 17 equipes – Eles deveriam cumprir 27 mandados de prisão, 20 foram efetivamente cumpridos, todos na Capital.

Foram efetuadas a prisão de um total de 30 condenados por crimes sexuais. A polícia disponibilizou os canais de denúncia 190 e 181 – eles pedem para que sejam feitas as denúncias para combater esse tipo de prática.

MAIO LARANJA

A Operação “Araceli” integra as ações do “Maio Laranja”, mês de combate à exploração e ao abuso sexual de crianças e adolescentes. Nesta terça-feira, equipes do Ministério Público Estadual, das Delegacias de Polícia ligadas ao Departamento de Polícia da Capital (DPC), do Departamento de Polícia Especializada (DPE), e 27 equipes da Polícia Militar estão a campo dando cumprimento aos mandados de prisão e de busca e apreensão, em diversos bairros de Campo Grande.

Mais informações serão obtidas às 10h45min, na coletiva que será realizada em sistema híbrido (on-line e presencial), respeitando as normas de biossegurança do MPMS, com presença reduzida, na sede da Procuradoria-Geral de Justiça no Parque dos Poderes. Participam da coletiva o Promotor de Justiça Marcos Alex Vera de Oliveira; o Comandante-Geral da PM, o Coronel Marcos Paulo Gimenez; a Delegada-Geral Adjunta da Polícia Civil, Rozeman Geize Rodrigues de Paula; o Diretor do Departamento de Polícia Especializada (DPE), Delegado Fabiano Nagata; e a titular da Delegacia Especializada de Proteção à Criança e ao Adolescente (DEPCA), Delegada Marília Brito Martins.

OPERAÇÃO “ARACELI”

Batizada de Operação “Araceli”, a ação lembra o caso da menina brasileira Araceli Cabrera Sánchez Crespo, assassinada em 18 de maio de 1973, aos 8 anos de idade, na cidade de Serra, no Espírito Santo. O corpo da criança foi encontrado somente seis dias após o crime, desfigurado por ácido e com marcas de violência e abuso sexual. Os acusados pelo crime foram absolvidos e o processo arquivado pela Justiça, fato que instituiu o Dia Nacional de Combate ao Abuso e Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes.