12 de junho de 2021
Campo Grande 25º 14º

Pessoas ligadas a Kátia denunciam ligação de ex-secretária com Swarco

A- A+

Novas denúncias sobre suposto esquema para tenta fraudar uma licitação na prefeitura de Campo Grande chegaram ao MS Notícias.

Segundo funcionários da Seintrha (Secretaria Municipal de Infraestrutura, Transporte e Habitação), a ex-titular da pasta Kátia Castilho teria ofertado ao empresário Boris Ulrich, gerente da Swarco, a vitória na licitação e a futura assinatura de contrato desde que ele a ajudasse a escrever o projeto de implantação do CCI (Centro de Controle Operacional de Gestão Integrada de Mobilidade Urbana com Prioridade ao Transporte Público).

Conforme pessoas ligadas a Kátia, que depois das denúncias recebidas pelo MS Notícias, resolveram contatar o site e contar o que presenciaram, a ex-secretária pode ser conhecida de longa data de Boris, por isso quando Kátia soube que o Ministério das Cidades havia aberto processo seletivo para projetos no setor de mobilidade urbana, a ex-secretária teria visto ali a chance de angariar para Campo Grande um projeto importante com alta quantia em investimentos federais. O projeto de fato é essencial para cidade, mas segundo os denunciantes a maneira como processo tem sido conduzido não traria benefícios e prejuízos, pois poderia privilegiar determinado grupo.

No entanto, a ex-secretária não tinha experiência na área suficiente para escrever um projeto do porte do CCI, por isso teria, conforme denunciantes, buscado ajuda e Boris. O gerente da Swarco teria colaborado na elaboração do projeto em troca da promessa de fazer da Swarco a vencedora da licitação. Porém, de acordo com pessoas ligadas a Kátia, um outro amigo antigo da então secretária também teria manifestado interesse em participar do negócio milionário e foi aí que teria surgido, conforme suspeitam denunciantes, a ideia do consórcio entre BSE Sistema Eletrônico, Swarco e Itel, empresa de João Baird.

Segundo ex-funcionários da Seintrha, Kátia e Boris podem ter mantido conversas por telefone sobre o negócio, algumas pessoas que trabalharam com Kátia relataram que certo dia, teriam ouvido ela cobrar de Boris uma ajuda de custo para as despesas de sua enviada a Itália, funcionária comissionada da confiança do prefeito Olarte, Catiane Sabadin.

Conforme denunciante relataram ao MS Notícias, Catiane teria ligado para Kátia no gabinete da Seintrha para pedir mais dinheiro para custear suas despesas na Itália, Kátia por sua vez teria negado a ela ajuda e mandado Catiane cobrar as despesas do Boris, já que ele seria também interessado.

A licitação ainda não foi aberta, o secretário atual de infraestrutura, Valtemir Brito nega as acusações, o prefeito se recusa a comentar o caso e a ex-secretária não atende ligações nem retorna mensagens. O Ministério das Cidades está a par da denúncias e pode se manifestar esta semana sobre o caso.

Redação