03 de agosto de 2021
Campo Grande 30º 14º

Ações contra dengue mobilizam exército e secretário alerta sobre "multas a quem não colabora"

A- A+

A Secretaria de Saúde de Campo Grande, por meio do secretário Ivandro Fonseca, juntamente com a Coordenadoria de Controle de Endemias Vetoriais da Sesau, Alcides Ferreira realizou na manhã desta sexta-feira (18) no 9º Batalhão Logístico do Exército o balanço e planejamento estratégico de ações no combate a epidemia de dengue na Capital.

No balanço, com a parceria de ações do exército, foram apresentados que entre o período do dia 1º ao dia 16 de dezembro ações foram realizadas em diversos bairros, entre eles alguns de destaque como o Noroeste, com 1.532 visitas, 300 sacos de lixo com objetos com índice de periculosidade em relação a focos de dengue. No Nova Lima foram 8.223 imóveis vistoriados, passando por 499 quarteirões com produtos para conter o mosquito da dengue e na região Central foram vistoriados 1.551 imóveis. O exército também colaborou com o recolhimento de 11.809 pneus com pelo de 59.300 kg. 

Para o coordenador de Controle de Endemias Vetoriais da Sesau, Alcides Ferreira, os números são positivos, mas não deixou de pedir apoio da população para diminuir os focos de dengue em Campo Grande. “Nosso trabalho tem que ser pensado no coletivo e como um todo. A população precisa entender que seu trabalho é fundamental e a conscientização em casa, com o vizinho, com o bairro todo pode evitar mortes e afastar casos de dengue na nossa cidade. Nosso trabalho vai continuar e os números com certeza farão a diferença futuramente”, disse o coordenador. 

Conscientização 
De acordo com o Secretário de Saúde, Ivandro Fonseca, a prefeitura não medirá esforços para punir as pessoas que não estão cuidando de terrenos, casas ou até mesmo deixando lixos em lugares inapropriados para prevenir os focos de dengue. “Nós não vamos medir esforços e nem facilitar para cobrar com multas quem não estiver cumprindo as leis e colaborando conosco. As pessoas têm que entender que estamos passando por um momento grave na saúde e não se pode brincar. Cada pessoa tem que ser fiscal, sendo um agente, começando pela sua residência, se cada um fizer a sua parte, teremos sucesso. Temos pessoas internadas com dengue hemorrágica, os postos todos os dias com casos, pessoas vindo a óbito, ou seja todo o cuidado é pouco e tem que ser redobrado”, cobra o secretário. 

Aproximadamente 40 denúncias são registradas por dia e para a população que deseja denunciar algum caso, o telefone para contato é o 156 ou também é possível fazer o registro formalmente, através do e-mail da ouvidoria@sesau.capital.ms.gov.br.