03 de agosto de 2021
Campo Grande 30º 14º

Prefeitura terá que pagar R$ 2,4 milhões à construtora para finalizar Centro de Belas Artes

A- A+

A audiência pública, proposta pelo vereador Eduardo Romero (PTdoB) sobre construção do Centro de Belas Artes começou há pouco na Câmara de Vereadores da Capital e tem como objetivo encontrar uma solução para retomar a obra, que está paralisada desde agosto de 2013.

Segundo o diretor da empresa Mark Construções Eireli, Gilson Molina, a decisão de paralisar a obra foi tomada diante da quebra de cláusulas do contrato por parte da prefeitura, na época administrada pelo prefeito Alcides Bernal (PP). "A quebra aconteceu em agosto de 2013 quando a prefeitura deixou de pagar o valor mensal referente à obra", explica. Conforme Gilson, a dívida acumulada é de R$ 2, 450 milhões dos quais R$ 450 mil se referem a um reajuste financeiro devido à expiração do contrato.

Gilson explica que o contrato venceu no dia 24 de maio deste ano e por isso a necessidade do reajuste para que a construtora possa dar continuidade ao serviço. O contrato havia sido firmado no início de 2010. Na época, trabalhavam na obra 28 funcionários que executaram 90% da primeira etapa e 30% da segunda etapa.

Conforme o diretor da Mark Construções, a audiência pública servirá para que a sociedade, o poder legislativo e executivo de Campo Grande tomem conhecimento dos motivos pelos quais a empresa paralisou as obras. "Esperamos que agora possamos encontrar uma solução, porque queremos que a prefeitura quite a dívida de $ 2 milhões  e execute o reajuste financeiro para que possamos retomar a obra", explica.

Heloísa Lazarini e Karla Machado