24 de janeiro de 2021
Campo Grande 29º 22º

Primeiro encontro de piscicultura reúne 100 produtores na Capital

O primeiro encontro de Piscicultores do município de Campo Grande será realizado hoje pela prefeitura de Campo Grande, por meio da Sedesc (Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia, Turismo e do Agronegócio) no auditório do Instituto Histórico e Geográfico. Cerca de 100 produtores da agricultura familiar compareceram ao evento, com intuito de adquirir mais informações que possibilitarão o desenvolvimento da cultura no perímetro urbano da Capital, contando com apoio técnico de profissionais da superintendência municipal. O titular da Sedesc, Edil Albuquerque agradeceu o empenho do prefeito Gilmar Olarte em atender a demanda da secretaria, apoiando projetos que oferecerão mais oportunidade de emprego e renda. “Quero parabenizar o prefeito Olarte por ter apoiado e aprovado nosso plano de trabalho para a piscicultura. O encontro de hoje é o início de uma nova etapa que proporcionará o crescimento da cadeia produtiva em Campo Grande e região”. Edil destacou ainda que a parceria da superintendência estadual e federal é imprescindível para o fomento da produção e distribuição do produto. “Os produtores interessados em trabalhar com a produção de peixes necessitam de acompanhamento constante para que possam gerar uma produção que atenda o consumo local. Este trabalho vai desde a orientação técnica até o oferecimento de linhas de crédito para investimento em estrutura e logística”. Luiz David Figueiró, que é superintendente da SFPA/MS (Superintendência Federal da Pesca e Aquicultura de Mato Grosso do Sul) elogiou o empenho do prefeito Gilmar Olarte em aprovar condições que darão visibilidade ao setor na Capital do Estado. “Com apoio do poder público, na figura do prefeito Olarte, conseguiremos ampliar o atendimento ao produtor e estimular o consumo de pescado. Eu sempre digo que a aquicultura é a agricultura da água e o governo federal vem trabalhando para ampliar a produção nacional, por meio do lançamento do Plano Safra para a Pesca e Aquicultura que concederá crédito para 1600 contratos de financiamento”. Já o representante estadual da pesca da Seprotur (Secretaria de Estado de Desenvolvimento Agrário, da Produção, da Indústria, do Comércio e do Turismo), César Moura lembrou a importância de estimular a criação de associações, a exemplo do que tem sido feito no interior do Estado. “Já iniciamos ações que visam fortalecer a categoria, como a criação de associações e orientação direta às superintendências municipais. Parabenizamos o secretário Edil Albuquerque por participar da organização desta cadeia produtiva em Campo Grande, visto que já apresenta franco desenvolvimento no Estado”. Público-alvo  Entre os interessados no tema do encontro estiveram presentes representantes do assentamento Universal, localizado na região norte da Capital, nas proximidades do córrego Botas. O presidente da associação de agricultores familiares, Olivan Valentin Souza explicou que muitos produtores estão interessados em investir na produção de peixes e, por isso, resolveram participar e aprender mais sobre a cultura. “É uma ótima oportunidade de adquirirmos mais informações sobre piscicultura e ampliar nossas alternativas de produção, mas primeiro temos que entender como funciona e nos profissionalizarmos”, opinou. Para o presidente da associação de produtores do Assentamento Estrela Campo Grande, Raul Nunes, será a oportunidade de dar continuidade a um projeto de piscicultura que começou a ser desenvolvido no local e foi interrompido. “Nós tivemos a oportunidade de participar do início do projeto Pacu, porém foi interrompido com a troca de gestão municipal. Nós temos uma área de 19,5 hectares que poderia ser utilizada para construção de tanques. Por se tratar de uma área pública, aguardamos apoio da nova gestão municipal. Temos pessoas que já entendem da cultura e contamos com uma localização que facilitará o deslocamento e entrega do produto”, reforçou o produtor.

Dany Nascimento com assessoria