19 de junho de 2021
Campo Grande 27º 14º

Professores se reunem nessa tarde para definir possibilidade de greve

A- A+

No dia em que setor administrativo da Rede Municipal de Ensino paralisou atividades na Capital, a ACP (Sindicato Campo-Grandense dos Profissionais da Educação Pública) reúne a classe educadora nessa tarde, para trabalhar a possibilidade de iniciar greve devido ao descaso do prefeito Gilmar Olarte com a educação.

As reivindicações da categoria é que haja o cumprimento dos direitos trabalhistas dos professores assegurados por lei, principalmente a efetivação da lei do Piso e o pagamento do reajuste de 13,01% na data base da educação (1º de maio). A cobrança, segundo sindicato, se justifica nos reajustes do valor dos impostos e tributos administrados pelos governos Federal, Estadual e Municipal.

O prefeito Gilmar Olarte determinou em Decreto de nº 12.528/2015, a contenção de despesas no setor da educação devido à situação financeira do município, o que causou indignação dos professores. Segundo documento, está suspenso por seis meses o direito a férias do profissional, o pagamento de horas extras, licenças que implicam nomeação para substituto, concessão de promoções e abono de permanência.

Diante da situação, o Sindicato busca negociação com a prefeitura para, segundo a classe, resgatar os direitos trabalhistas que estão previstos no Estatuto do Magistério – Lei Complementar 19. No ultimo dia 30, a categoria se reuniu com representantes da prefeitura, onde não houve negociações devido a situação financeira complicada do município, alegada pelos representantes.