21 de junho de 2021
Campo Grande 28º 13º

Reajuste da energia elétrica impulsiona inflação de março em Campo Grande

A- A+

A inflação do mês de março na Capital foi de 1,25%, segundo o IPC/CG (Índice de Preços ao Consumidor de Campo Grande), divulgado mensalmente pelo NEPES (Núcleo de Pesquisas Econômicas) da Universidade Anhanguera-Uniderp. Um dos responsáveis pela maior contribuição negativa para este cenário é o reajuste da energia elétrica.

No comparativo, apenas entre os meses de março, esse percentual não se repetia desde o ano 2003, quando chegou a 1,34%. Na análise com fevereiro de 2015, o índice foi apenas 0,13% menor.  Segundo o coordenador do NEPES, Celso Correia de Souza, “no mês de março aconteceu um forte aumento no preço da energia (28,19%), cujo reflexo no período foi de aproximadamente 13,75% na inflação da Capital. Além do mais, houve também elevação da bandeira tarifária de energia elétrica de 3 para 5,5%, para cada 100 Kwh consumido”, justifica.

Os responsáveis pelas maiores contribuições para a inflação do mês de março além da energia elétrica foram o gás em botijão (0,11%), pão Francês (0,04%), café (0,03%), gasolina (0,03%), diesel (0,03%), óleo de soja (0,03%), batata (0,02%), sapato feminino (0,02%) e aluguel de apartamento (0,02%).