22 de janeiro de 2022
Campo Grande 35º 22º

EJA

Reme faz planejamento interno e organiza atendimento à alunos em 2021

Estudantes que querem completar os ensinos fazem o EJA esse ano, com tecnologia, cadernos impressos e apoio de mídia local

A- A+

Determinado pela Rede Municipal de Ensino, em resolução publicada no Diário Oficial de Campo Grande (Diogrande), ainda na 6ª feira (05.mar.2021), que na ofertar do curso da Educação de Jovens e Adultos (EJA), fases inicial I e II (1° ao 5° anos), intermediária (6° e 7° anos) ou final (8º e 9º anos), a quatidade de alunos deve variar entre 15 e 25 estudantes. 

Com todas as aulas retomadas de maneira remota, desde o dia 08 de fevereiro. Um decreto publica quatro dias antes prorrogou a suspensão das atividades escolares em unidades da REME, até 1° julho de 2021. 

Apesar disso, a Secretaria Municipal de Educação (Semed), espera retomar as aulas ainda no primeiro semestre, caso a atual crise sanitária permita. “As matrículas são efetuadas na própria unidade escolar, seguindo todos os protocolos de biossegurança, e o candidato se submeterá a uma avaliação diagnóstica que o classifica nas séries iniciais, intermediárias e/ou finais”, explicou a professora Magali Luzio, da Divisão da Educação e Diversidade (DED) da Secretaria Municipal de Educação (Semed), no material divulgado pela prefeitura. 

Para avaliação o aluno retira seu caderno de avaliação diagnótisca e o devolve na unidade, para então receber o caderno-base, volume 1, que é elaborado pela equipe técnica da Semed.

São oferecidos cursos EJA nas unidades: 

  • Carlos Vilhalva Cristaldo (Jardim Aeroporto), 
  • Consulesa Margarida Maksoud Trad (Estrela Dalva I), 
  • Dr. Tertuliano Meirelles (Jardim Anahy), 
  • José Mauro Messias da Silva – “Poeta das Moreninhas” (Moreninha IV), 
  • Nerone Maiolino (Vida Nova), 
  • Pe. Tomaz Ghirardelli (Dom Antônio Barbosa), 
  • Prof. Antônio Lopes Lins (Caiobá), 
  • Prof. Plínio Mendes dos Santos (Guanandi), 
  • Prof. Wilson Taveira Rosalino (Aero Rancho III), 
  • Profª. Adair de Oliveira (Piratininga), 
  • Profª. Elizabel Maria Gomes Salles (Santa Luzia), 
  • Profª. Gonçalina Faustina de Oliveira (Jardim Tarumã), 
  • Profª. Ione Catarina Gianotti Igydio (Jardim Noroeste), 
  • Profª. Iracema de Souza Mendonça (Universitário), 
  • Profª. Maria Lúcia Passarelli (Aero Rancho) 
  • E na Escola Municipal Osvaldo Cruz, na Vila Palmira, que também oferece a modalidade nos períodos diurno.

No segundo ano convivendo com a pandemia, cada estudante deverá adequar-se para captar todo conteúdo oferecido, seja através das aulas remotas (com os vídeos e aplicativos de mensagens) ou até mesmo com o material impresso pela unidade escolar, além de outros recursos oferecidos pela Semed, como a Rádio e TV Reme (transmitida pelo canal 4.2 da TVE)

“O aluno que procura a EJA, quase sempre busca terminar os estudos para conseguir uma melhor colocação no mercado de trabalho, uma promoção no emprego. A EJA tem uma grande importância para o aluno, visto que o convívio social e escolar cria uma rede de amizade, entre alunos e professores. Por fim, a satisfação que o aluno tem em se formar é indescritível. Concluir essa fase é fundamental para ele”, finaliza o professor Adriano Ramos.