25 de junho de 2021
Campo Grande 30º 19º

Rio ou Rua? Moradores reclamam de caos causado por chuva em bairro da Capital

A- A+

 Revoltados com a atitude da prefeitura de Campo Grande, que segundo os moradores do bairro São Caetano, envia profissionais para fazer o cascalhamento de algumas ruas, mas o serviço é sempre realizado pela “metade”.

De acordo com o presidente do bairro, Oscar Oliveira Martins, a rua Ouvidia Maria de Lima que é linha de ônibus fica totalmente alagada nos dias de chuva porque a equipe da prefeitura deixou um buraco no meio da rua.

“Toda vez que chove acontece isso, a rua fica parecendo um rio e ninguém consegue passar. Aqui é linha de ônibus, os ônibus passam aqui na marra porque são grandes, mas carro pequeno sempre atola nessa rua”, explica o presidente.

Oscar garante que já procurou a prefeitura diversas vezes, mas que o serviço continua sendo feito pela metade. “Já fui várias vezes na prefeitura, mas é sempre a mesma coisa. Eles vem aqui, jogam pó de pedra que não resolve o nosso problema. Eles poderiam cascalhar de verdade que acabava com o problema de toda a população que vive na região”.

Alison Lucas, que mora na frente do buraco que acumula água afirma que a situação da rua complica a situação dos moradores e cita seu caso como exemplo, já que possui uma motocicleta e não consegue seguir reto na rua da sua casa. “Eu mesmo se quiser ir reto não posso, tenho que ir por baixo e dar a volta porque não tem como passar no meio dessa lagoa que se forma na frente de casa”, diz o morador.

Além disso, Alison faz questão de mostrar a conta de água de sua residência, que cobra R$ 21 de taxa de esgoto, que não existe no local. “Eles cobram R$ 21 de todos os moradores como taxa de esgoto e não temos esgoto aqui, isso não existe. Cada morador tem que pagar esse valor por algo que não utiliza”.

A moradora da rua Iolanda Perez de Lima,  paralela a rua de Alison, Tayane de Vargas diz que toda vez que chove não consegue passar com os filhos pela rua, tendo que dar a volta na quadra para ir até uma mercearia.

“Aqui é sempre assim, em época de sol sofremos com a poeira, já na época da chuva, sofremos com o alagamento das ruas, não tem como nem ir ao mercado ás vezes, temos que dar a volta na quadra para comprar algo”, diz Tayane.

A entrada do bairro conta com uma placa de drenagem e pavimentação asfáltica que foi feita na avenida principal pelo ex-prefeito de Capo Grande, Nelson Trad Filho (PMDB), mas a esperança da população é que o atual gestor envie uma equipe para fazer o cascalhamento na região, já que a maioria das ruas não conta com pavimentação asfáltica.

 Dany Nascimento