15 de junho de 2021
Campo Grande 28º 15º

Romero diz que prefeito erra ao colocar sua religião acima da população

A- A+

O vereador Eduardo Romero (PT do B) afirmou na noite de hoje, que o prefeito de Campo Grande Gilmar Olarte (PP) está ignorando o restante da população que não segue a mesma religião que ele, já que o prefeito anunciou que não realizaria o evento Show da Virada por falta de recurso, porém, anunciou hoje que realizará o Réveillon da Família , que será voltado para o segmento religioso.

“Cada vez mais o prefeito deixa claro que ignora que o restante da população que não comunga da mesma fé que ele porque ele cancela um evento que era realizado há 16 anos e ao nominar um novo evento com o nome da família, ele deixa a impressão que quem ia ao Show da Virada não era de família”, diz Romero.

O parlamentar critica a atitude de Olarte e destaca que o prefeito precisa entender que hoje está ocupando um cargo de gestor público e não pode priorizar segmentos religiosos, ignorando a religião do restante da população campo-grandense. “Ele precisa entender que ele é um gestor público e como gestor, não pode ser o pastor Gilmar, ele precisa entender que a cidade tem muçulmanos, católicos, ateus, entre outras religiões e todos pagam impostos iguais”.

Romero ressalta que Olarte não respeita as decisões do MPE (Ministério Público Estadual) sobre a realização do evento Quinta Gospel, dando demonstrações de que “sua religião é mais importante que as outras”.

“O próprio evento da Quinta Gospel ele não respeita, não respeita as decisões do MPE, ele deixa claro que a fé dele e a religião dele são mais importantes que o restante da população. Ele está dando um ritmo bom na administração, mas não conseguiu assimilar e entender o que é um estado laico”, afirma Eduardo.

Diante disso, o parlamentar questiona de onde a prefeitura pretende tirar um recurso que “não tinha” para o Show da Virada para pagar os artistas que se apresentarão no Revèillon da Família, que será realizado no dia 31 de dezembro na praça do Rádio Clube.

“Se não tinha recurso para o Show da Virada, como conseguiu recurso para o Show da Família, eles não vão cantar de graça, se ele disser que será menor, fizesse um Show da Virada  menor, temos um celeiro de artistas de diversos segmentos, temos que valorizar nossos artistas. A cultura só perdeu orçamento, artistas estão sem receber cachê, eventos em bairros, feiras foram cancelados e aí ele cancela e apresenta uma proposta como se fosse a melhor proposta”, diz o vereador.

Romero faz questão de dizer que pretende encaminhar um ofício para o MPE para que o recurso aplicado neste evento seja investigado e deixa claro que não é contra a realização do evento e sim a atitude do prefeito em não realizar um evento que era tradição e anunciar a realização de um evento religioso, já que a prefeitura enfrenta uma crise financeira.

“Vou solicitar os gastos e encaminhar um ofício ao MPE, encaminhando minha indignação para que coloque isso também em investigação. Não por ser contrário, não sou contrário, acho ótimo, mas tirar um evento tradicional alegando não ter recurso, mudando atrações, local e nome você desrespeita a população. É uma pena. Essa insistência dele em deixar a prioridade a religião que ele prega é muito ruim porque está ignorando a cidade toda”, finaliza o parlamentar.

Dany Nascimento