15 de junho de 2021
Campo Grande 28º 15º

Campo Belo

Sem alternativa, atletas são obrigados treinar em campo sem gramado

A escolinha existe há 15 anos, até hoje aguardam promessa de gramado

A- A+

A falta de gramado no campo de futebol do Bairro Campo Belo, é uma das principais reclamações dos atletas da escolinha Bom Sucesso, diariamente são obrigados a conviver com a poeira, o matagal toma conta ao redor do local. 

O treinador Mauro Ramos, o seu Mauro, como é conhecido na região, há 15 anos treina a gurizada do bairro, a promessa de gramado no campo é antiga.

Ramos disse que a promessa de gramado é antiga, e estava prevista de acontecer, mas até o momento não houve nada de benfeitoria para os jovens que depende do campinho para treinar.

“Promessas, tivemos várias, era para o campo ser gramado em 2008. Até hoje aguardamos uma resposta”, comenta.

Cerca de 80 atletas treinam diariamente, muitos deles não têm outra opção, a não ser participar dos treinos no bairro. Entre eles os pedidos são muitos, falta matérias, transporte, rede, bola, entre os reivindicações.

Para não perder os treinos, o adolescente Thiago Henrique, de 13 anos, vai a pé do bairro Oscar Salazar, que fica localizada ao lado do Bairro Vida Nova, região do grande Nova Lima.

“Tem gente que mora longe, precisamos de transportes e de matérias para jogar”, comenta.

Marcelo Vinicius, 16 anos, há dez anos participa dos treinos no bairro, quando questionado sobre os problemas enfrentado pela escolinha, ele faz uma lista de pedidos.

“Precisa de grama, cerca, rede e de matérias para os times. Faltam muitas coisas aqui, falta tudo”, reclama.

Falta apoio

A Funesp (Fundação Municipal de Esporte) repasse um valor para escolinha, mas segundo Mauro não consegue atender todas as necessidades da escolinha, em média ele gasta cerca de R$1.500 por mês com despensas.

“Precisamos do apoio dos empresários, não recebo ajuda de ninguém aqui da região”, comenta.

Os treinos acontecem as terças, quintas e sábado, sempre às 15horas, com duração de duas.

Matagal

Dona Ramona Cunha Mediana, reside há oito anos em frente ao campo de futebol reclama que o bairro está abandonado, além do matagal que serve de abrigo e hospedagem de animais mortos. 

“Esses dias mesmo, jogaram cachorro morto. Não tem como fazer nada, falta limpeza, olha o mato como está?!”, comenta.

A falta da ausência das autoridades na região é outro questionamento levantado por quem mora por lá.

“Nem espero mais nada, cada eleição tem uma nova promessa, passou este período, eles somem. Quando chegam à época eleitoral eles aparecem novamente” disse Ramona.