12 de junho de 2021
Campo Grande 25º 14º

Vereadora estranha suspensão de eleição da ACP

A- A+

Foi suspensa a eleição da ACP (Sindicato Campo-Grandense dos Profissionais da Educação) , que iria acontecer na manhã de hoje, após   uma decisão judicial. Para a vereadora  Thaís Helena, o fato é bastante estranho, já que há alguns dias o assessor do prefeito de Campo Grande,  Gilmar Olarte (PP), divulgava em seu perfil do Facebook que essa agenda não iria se realizar.

“Isso me causa estranheza. Que vínculo o assessor tem com o processo?” Thaís, assim como os outros vereadores não quiseram se manifestar, ao serem questionados sobre uma possível influência do prefeito no caso, para que o foco não seja mais a greve dos professores e sim a eleição, ganhando tempo para novas articulações referente ao pagamento do piso salarial.

“Eu espero que não haja interesse do executivo nesta ação, mas que o interesse seja apenas a legitimidade do pleito”.

Já Chiquinho Telles (PSD), defendeu Olarte, dizendo que o chefe do executivo municipal nunca disse que não pagaria a integralização do salário dos professores, de 8,46% , mas admite que Olarte acredita que a ACP está fazendo politicagem neste período eleitoral do Sindicato.

Paulo Pedra (PDT), assim como Rose Modesto (PSDB), disseram que não iriam se pronunciar porque não tiveram conhecimento do motivo da suspensão da eleição da ACP.

A eleição foi suspensa, pois, o professor Alvaro Roberto Benedito Ferreira, candidato da Chapa 3, entrou com ação pedindo suspensão da eleição, pois acredita que houve irregularidades no processo. Alvara acusa o atual presidente Geraldo Gonçalves de pedir votos aos professores para a chapa 1, através de cartas. Em sua defesa, Geraldo disse que, comunicava nesta carta que não seria mais candidato a reeleição da ACP.

Tayná Biazus