07 de maro de 2021
Campo Grande 30º 20º

VACINA| EDUCAÇÃO

Vereadores buscam segurança para possível volta às aulas presenciais

Marcos Tabosa; André Luis ; Camila Jara e Professor Juari querem vacinação prioritária para professores e suspensão do início das aulas em escolas municipais

Ação conjunta dos vereadores Professor Juari (PSDB); Marcos Tabosa (PDT); André Luis (Rede); Camila Jara (PT) e Coronel Vilassanti (PSL), formam frentes que saem em defesa do ensino de qualidade frente a uma pandemia, através do pedido de priorização na vacinação aos profissionais da educação e a suspensão do início das aulas nas escolas municipais até que ocorra a imunização dos servidores. 

Segundo o Plano Nacional de Imunização (PNI), 54 milhões de pessoas compõem o grupo prioritário de brasileiros para receber a vacina contra a COVID-19. Os profissionais da educação seriam atendidos a partir da quarta fase. Na época de divulgação, o governo ainda não previa a inclusão de deficientes já nessa primeira fase de vacinação.

  • A 1ª etapa é destinada aos idosos com mais de 60 anos, que moram em instituições de casas de repouso e asilos, além dos trabalhadores de saúde que estão na linha de frente da Covid-19 e das comunidades indígenas; 
  • Na 2ª fase, seriam imunizados pessoas com 70 a 74 anos; com 65 a 69 anos; e 60 a 64 anos 
  • Na 3ª fase de imunização entram os que possuem comorbidades: diabetes, hipertensão, doença pulmonar.
  • Na 4ª fase de vacinação, a imunização de professores; membros das forças de segurança e salvamento e de funcionários do sistema prisional.

Essa semana, o professor Juari encaminhou o pedido de priorização ao prefeito Marquinhos Trad.  “Precisamos urgentemente vacinar os professores das escolas para o retorno das aulas em fevereiro, eles também são linha de frente, lidam com muitos alunos todos os dias, temos que tomar todas as medidas cabíveis. Já temos o Plano de Retorno das Aulas Presenciais na Reme, aguardamos apenas a imunização de todos”, afirmou o vereador, por assessoria. 

Outra frente, composta presencialmente por Marcos Tabosa, André Luis e Camila Jara, reuniu-se na Secretaria Municipal de Educação (SEMED), com a secretária Elza Fernandes Ortelhado, pedindo a suspensão do início das aulas, até que administrativos da educação; professores e demais servidores que atuam nas escolas sejam imunizados pela vacina já aprovada pela Anvisa. A secretária apontou um empecilho colocado pelo Ministério Público, solicitando mais informações para aprovar o adiamento da volta às aulas. 

Não há a clareza de quando todos os trabalhadores administrativos da educação, professores e demais servidores que atuam nas escolas serão imunizados, mesmo com o cronograma da Sesau, entretanto a secretária informou que um retorno das aulas presenciais só acontecerá em um ambiente seguro para todos, e salientou o desejo de que as aulas tenham início somente após a imunização.