12 de junho de 2021
Campo Grande 25º 14º

Vereadores reiteram apoio aos professores e apoiam ação na justiça

A- A+

Os professores da Reme (Rede Municipal de Ensino) de Campo Grande rejeitaram na manhã de hoje a proposta do prefeito Gilmar Olarte (PP), em dividir os 8,46% referente ao valor da integralização salarial dos professores. Olarte ofereceu esse pagamento em sete parcelas, cerca de 1,20% ao mês. Com isso, os professores cogitam a partir de agora entrar com uma ação na justiça reivindicando o direito, já garantido em lei, para que o pagamento seja realizado, e continuam com o apoio dos vereadores. “É legítimo dos professores buscar por todos os meios aquilo que lhe é devido”, disse Carla Stephanini (PMDB). Da mesma opinião é o vereador Eduardo Romero (PT do B), que acredita na razão da classe em brigar por uma questão já garantida. “A Câmara teve o cuidado de aprovar a lei, analisandoo impacto financeiro. Essa lei não é inconstitucional”. Além disso, Romero acredita que Olarte deve elencar as prioridades no município, após ter conhecimento que o prefeito prometeu investimentos para o Natal na praça Ary Coelho, Cidade do Natal e na iluminação de toda a avenida Afonso Pena. “Isso é algo passageiro, a greve é algo ruim, que prejudica, desgasta e ninguém sai vitorioso, deveria existir uma prioridade neste momento”, acrescentou. Finalizando, na opinião de Chiquinho Telles (PSD), o chefe do executivo municipal deveria cumprir a lei, que foi uma conquista de lula da classe. O parlamentar acredita também que o maior erro foi Olarte ter assumido o executivo como “salvador da pátria”, garantindo que iria solucionar todos os problemas da prefeitura. “Eu acho que o prefeito tem que ter alguém ao seu lado com jogo de cintura, pois só de boa vontade não se faz um mandato”. Tayná Biazus