26 de novembro de 2020
Campo Grande 34º 23º

MOTORISTA EMBRIAGADO

Advogado preso após matar militar no trânsito tinha vodca pela metade no carro

Ao ser abordado pela polícia, o advogado negou que tinha se envolvido em um acidente de trânsito

O advogado Helder da Cunha Rodrigues, de 38 anos, que conduzia embriagado o Chevrolet Cobalt envolvido em acidente às 4h desta madrugada de 2ª-feira (19.out.2020), que causou a morte do policial militar Luciano Abel de Carvalho, de 29 anos, tinha uma garrafa de vodca pela metade dentro do carro. A vítima foi atingida no cruzamento das Avenidas Ministro João Arinos, com a Centaurea, Bairro Cidade Jardim, em Campo Grande.  

Segundo a polícia, Helder estava visivelmente embriagado não tinha Carteira Nacional de Habilitação (CNH) e se apresentou como advogado e logo em seguida empreendeu fuga, não prestando socorro à vítima.

Ao ser abordado pela polícia, o advogado negou que tinha se envolvido em um acidente de trânsito. Argumentou que estava trabalhando para aplicativo de viagem, mas demostrou muito nervosismo. Por isso, acabou conduzido até o local do acidente para reconhecimento da autoria de uma testemunha. Nesse momento foi dada voz de prisão e teve que ser algemado no banco traseiro da viatura.

Segundo a polícia, foi necessário algemar Helder pois ele estava nervoso e já tinha fugido do local do acidente.  

Ainda de acordo com a polícia as roupas dele estavam sujas de terra, com fala pastosa, olhos avermelhados e forte odor etílico, e o teste do etilômetro teve resultado de 0,76/mg/l.