29 de setembro de 2020
Campo Grande 37º 20º

ASSALTO AO CARRO FORTE

Após perder o irmão em confronto com a polícia, chefe de facção morre do mesmo jeito em MS

Procurado na Bahia, o "Zé Lessa" morreu após assaltar carro-forte e bater de frente com a polícia de fronteira em MS

José Francisco Lumes, o “Zé de Lessa”, um dos suspeitos de assaltar o carro-forte entre Caarapó e Amambai, na segunda-feira (2), que acabou morrendo nessa segunda-feira (4), em confronto com policiais sul-mato-grossenses, seria parte de uma quadrilha da Bahia, conhecida como “Bonde do Maluco”. Segundo noticiou nessa manhã o Campo Grande News, Zé era um dos bandidos mais procurados no estado baiano, considerado o fundador do grupo criminoso. Além de Zé outros três suspeitos morreram em confronto com a polícia na noite de ontem na fronteira de MS com Paraguai.

Segundo organograma apresentado pela Secretaria de Segurança Pública da Bahia, ‘Baralho do Crime’, Zé era o “Ás de Ouro”, e ao grupo comandado por ele estão atribuídos dezenas de assaltos a agências bancárias. Em novembro de 2018 os suspeitos teriam levado R$ 100 milhões de uma agência em Bacabal, interior do Maranhão. 

Foragido desde 2014, após ser liberado pela Justiça, Zé seguia comandando o grupo criminoso a distância, de acordo com a polícia ele estava escondido no Paraguai. 

As perdas para Zé começaram no roubo do banco em Bacabal, na ocasião além de perder dois integrantes, ele também perdeu seu irmão, que morreu em confronto com a polícia baiana. Edielson Francisco Lumes, segundo a polícia, tinha a função de subchefe e repassava as ordens de Zé para a quadrilha, formada por pelo menos 80 criminosos.

Zé também já estava na lista de procurados da Polícia Federal, a facção comandada por ele ganhou “fama” e passou a ser considerada uma das facções com maior atuação na Bahia e outros estados do Nordeste. No Maranhão, onde a quadrilha cometeu o assalto milionário, a atuação da quadrilha é conhecida como Novo Cangaço.

*Com informações do Campo Grande News.