MS Notícias

quinta, 02 de julho de 2020

Traficantes

Casal 'pagador' de traficantes movimentou R$ 10 milhões em Corumbá

Saldos em contas, valores em espécie e uma caminhonete foram confiscados

Por: LEANDRO ABREU08/10/2018 às 16:38
ComentarCompartilhar

A Justiça Federal condenou por lavagem de dinheiro e evasão de divisas um casal de Corumbá que movimentou mais de R$ 10 milhões do tráfico. Saldos em contas bancárias, valores em espécie apreendidos e uma caminhonete foram confiscados.

Após denúncia do Ministério Público Federal (MPF), a 3ª Vara Federal de Campo Grande julgou procedente e condenou Adelino Zanella a 11 anos, dois meses e doze dias de reclusão, em regime fechado, além do pagamento de 134 dias-multa. A esposa Irllan Kardec teve a pena de 13 anos, sete meses e dez dias de reclusão, também em regime fechado, e com o pagamento de 178 dias-multa.

Conforme o MPF, os dois denunciados recebiam valores em suas contas bancárias e, logo em seguida, sacavam em espécie e atravessavam o dinheiro para a Bolívia. Adelino e Irllan já tinham antecedentes criminais relacionados com o tráfico de drogas e atuavam em Corumbá. Para a realização dos saques, os réus utilizavam também laranjas. A movimentação de valores passa de R$ 10 milhões.

Para não chamar atenção dos órgãos de fiscalização financeira, o esquema traçava toda uma logística desde o depósito e transferências bancárias, que vinham de diferentes pessoas em diversos lugares do Brasil. Além disso, os valores eram incompatíveis com a renda das pessoas que depositavam. Um exemplo foi a transferência de R$ 75 mil feita por um eletricista que tem renda mensal de R$ 1 mil.

Já na tentativa de manter a discrição, o casal realizava diversas movimentações entre suas contas bancárias, buscando despistar os órgãos de fiscalização de atividades financeiras. Irllan e Adelino também efetivavam saques diários em valores fracionados abaixo de R$ 10 mil, com o objetivo de evitar que o Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) fosse automaticamente notificado da retirada do dinheiro.

Outra situação foi a compra de uma caminhonete GM S-10 vermelha por meio de um cheque de R$ 10 mil, no mesmo dia do recebimento de R$ 80 mil em uma das contas de Irllan, fato que, para o MPF, se deu comprovadamente por meio de dinheiro ilícito e se classifica como lavagem de dinheiro.

Já a existência do crime de evasão de divisas é identificada em vários momentos pelas investigações desde diversas abordagens policiais notificadas na fronteira com a Bolívia, até a prisão em flagrante de Adelino em julho de 2016, enquanto transportava mais de R$ 112 mil em espécie, crime pelo qual foi considerado culpado em outra ação penal. Segundo investigação da Polícia Federal, após a prisão do marido, Irllan procurou por outras maneiras para realizar o transporte do dinheiro, o que acarretou em sua prisão em flagrante em fevereiro de 2017, no momento em que embarcava em um moto-táxi portando R$ 94 mil em espécie.

Deixe seu Comentário

TV MS

22 de junho de 2020
Pagamentos pelo WhatsApp já estão disponíveis no Brasil
Pagamentos pelo WhatsApp já estão disponíveis no Brasil

Últimas Notícias

Ver Mais Notícias
MS Notícias - Sua referência em jornalismo no Mato Grosso do SulRua José Barnabé de Mesquita, 948
CEP 79100.200 - Vila Duque de Caxias
Campo Grande/MS
 (67) 99309.8172

Editorias

Institucional

Mídias Sociais

© MS Notícias. Todos os Direitos Reservados.
Desenvolvimento Plataforma