27 de novembro de 2020
Campo Grande 35º 23º

CORUMBÁ

Dois meses após executar professor em MS, homem se entrega à polícia

Suspeito entregou-se nessa terça-feira (21.abril)

Luiz Carlos Urquidi Junior, de 20 anos, se entregou à polícia na tarde dessa 3ªfeira, ele estava foragido desde 20 de fevereiro desse ano, suspeito do assassinar o professor Márcio Luiz Ferreira dos Santos, de 27 anos, em Corumbá, na região do Pantanal, em Mato Grosso do Sul.

Segundo os policiais, no momento da apreensão disse que estava foragido na Bolívia, mas não deu detalhes sobre o crime.  

O professor e pedagogo morto, estaria ameaçando o suspeito, conforme o autor revelou para a mãe e irmão, no dia do crime, antes de fugir. A vítima foi encontrada de bruços, com os braços amarrados e uma perfuração no pescoço. Perto do corpo também foi apreendido um canivete e uma tesoura.

Segundo o boletim de ocorrência, o irmão do suspeito de homicídio ligou para a polícia e passou as seguintes informações: de que ele tinha acabado de receber a ligação da mãe dele, dizendo que o assassino teria ligado para ela confessando que tinha cometido um homicídio.

De fato, a polícia constatou, que no dia do crime o suspeito ligou para mãe à meia-noite, confessando e qualificando a vítima como um "desafeto". A mãe teria avisado o irmão, que de pronto foi até a casa da mãe e encontrou o suspeito, que mais uma vez disse que havia matado o professor e informou onde estava o corpo.

O irmão então ligou para a polícia e fez a denúncia. Neste momento o suspeito teria saído da casa da mãe com uma mochila nas costas e entrado em um carro de aplicativo, sem informar para onde estava indo. Antes disso o suspeito disse a seguinte frase: "É mais fácil a família dele chorar do que a nossa".