30 de setembro de 2020
Campo Grande 40º 23º

BARBÁRIE

Filho mata mãe a facadas e depois queima corpo por ela negar R$ 10; autor fica em liberdade

Filho confessou o crime, mas foi liberado e aguardará julgamento em liberdade

Paulinho Cabreira, de 19 anos, matou a mãe, Marina Cabreira, de 42 anos, depois ateou fogo no corpo dela. Ele estava preso após confessar o crime, no entanto, segundo o Setor de Investigações Gerais (SIG), o autor que disse que matou a mãe porque ela negou dar a ele mais R$ 10 para “comprar mais cachaça”, após executar a própria mãe na segunda-feira (23), ele fugiu e na sequência se apresentou Polícia Civil de Dourados município onde ocorreu o fato, em Mato Grosso do Sul. Conforme a decisão, Paulinho deve aguardar julgamento em liberdade. 

De acordo com o jornalista Hélio de Freitas, de Dourados, o delegado Rodolfo Daltro, chefe do SIG em Dourados, disse que a investigação se iniciou assium que o corpo de Marina foi encontrado na casa dos fundos, na Rua Sônia Maria Lange Volpato, no Parque Alvorada, região oeste de Dourados. A mulher foi morta a golpes de faca.

O dono da casa e companheiro de Marina, José Alves Jorge dos Santos, de 57 anos, chegou a ser preso como suspeito do crime, mas foi liberado no dia seguinte.

Os investigadores apuraram que Marina, o filho e Jorge consumiam bebidas alcoólicas quando ocorreu o crime. “O depoimento de Paulinho já havia sido realizado no dia 24 [um dia após o crime], ocasião em que ele acusou Jorge [esposo da vítima], como o autor do crime. Jorge, por sua vez, disse que ele, Marina e Paulinho consumiam bebidas alcoólicas quando adormeceu, tendo acordado com o cheiro de fumaça. Ele encontrou o corpo, mas Paulinho não estava mais no local”, explicou o delegado.

Ontem, quinta-feira (26), a polícia identificou indícios de que Paulinho tinha matado a própria mãe. Uma testemunha ouvida pelo SIG relatou que Paulinho tinha contado para ela que havia assassinado a mãe.

Levado à delegacia, novamente questionado, Paulinho confessou o crime. Ele disse que estava bêbado e quando acabou a cachaça, pediu R$ 10 à mãe, que se negou a dar o dinheiro. Com isso, ele se irritou, pegou uma faca e desferiu vários golpes contra a mãe e depois jogou roupas sobre a vítima e ateou fogo.

Segundo a Perícia Técnica, o corpo de Marina ficou parcialmente carbonizado. Segundo Jorge, Paulinho agredia a mãe com frequência, e disse ainda que, recente, o autor tentou estuprar a própria mãe.

Fonte: (Com informações do Campo Grande News).