MS Notícias

quarta, 27 de maio de 2020

NOTA ZERO

Investigado "abre a boca" e confirma esquema criminoso na educação

Operação é uma das muitas que apura desvio de verbas em pastas do Estado

Por: TERO QUEIROZ*13/05/2019 às 09:23
ComentarCompartilhar
Uma das empresas investigadas no esquema recebeu a visita da PF na última quartaUma das empresas investigadas no esquema recebeu a visita da PF na última quartaFoto: Reprodução

Um investigado na Operação Nota Zero, desencadeada pela Polícia Federal (PF), e Controladoria Geral da União (CGU), em Mato Grosso do Sul, confirmou a existência de esquema criminoso para desviar dinheiro da educação, os alvos são as empreiteiras ou prestadoras de serviço: Queiroz PS Engenharia, AJ Construções e SDI Informática. Também há sete pessoas físicas alvos de mandados, parte dessas, ligadas as empresas suspeitas. Além da Secretaria de Eduação (SED/MS). 

 Na primeira fase da operação, que contou com 55 policiais e oito funcionários da Controladoria-Geral da União (CGU), o alvo foi pagamento de R$ 9,6 milhões em oito contratos de reforma de escolas voltados para o ensino médio integral.

De acordo com a PF, a investigação apura fraudes em contratos firmados pela Secretaria Estadual de Educação e empresas de construção civil e visa provar os indícios dos crimes de corrupção passiva e ativa, peculato e organização criminosa.

O juiz Dalton Kita Conrado, da 5ª Vara Federal de Campo Grande, negou 10 pedidos de prisão preventiva e reduziu o número de mandados de busca e apreensão de 37 para 11. No entanto, o magistrado determinou a quebra do sigilo telefônico, bancário e fiscal dos acusados de integrar a quadrilha.

Durante a coletiva, a PF informou que conseguiu gravar um dos funcionários da secretaria recebendo propina de R$ 6 mil de um dos empresários envolvidos no esquema. Gravações telefônicas também reforçam a acusação.

O site o Jacaré revelou, que o depoimento de um dos envolvidos surpreendeu a PF. O servidor da Secretaria de Educação confirmou o desvio de recursos e o acerto para garantir a “fila” entre os participantes do esquema criminoso.

O nome do delator não foi revelado para proteger o andamento das investigações, no entanto, os suspeitos mostraram movimentações o que deve suceder novas prisões. 

Alguns nomes já estão a disposição da mídia, é o caso do diretor-geral de infraestrutura, Administração e Apoio Escolar da Secretaria de Educação, Paulo Henrique Malacrida, e também de Eduardo José Serrano Monteiro, apontado como lobista do esquema, Eduardo é irmão da ex-senadora e conselheira do Tribunal de Contas do Estado, Marisa Serrano. Esse dado, pode ter influenciado no seu papel no esquema criminoso, ele seria responsável por mediar as negociações e garantir que as tratativas criminosas ocorressem, apontou o site O Jacaré. 

Malacrida foi nomeado pelo governador do estado, Reinaldo Azambuja (PSDB), a ocupar a cadeira de secretário especial, e os faturamentos ao cargo frequentaram aumentos de 175% em quatro anos, de R$ 10,1 em 2015 para R$ 28.033 mil nesse ano. 

Reinaldo disse em entrevista na semana passada que o Estado foi vítima da quadrilha e parabenizou a operação da PF. 

OPERAÇÕES 

Uma sequênca de operações está sendo comandada pela PF, na "cama" estadual estão sendo investigados os de partamentos do crédito fundiário; na Operação Again, são apuradas fraudes na área de cardiologia do Hospital Regional de MS, crimes como esses vem sendo praticados desde 2015; ainda temos o caso da Operação Aprendiz, deflagrada em fevereiro desse ano, essa apura desvio de R$ 1,6 milhão em contratos com agências de publicidade; a Operação Reagente, comandada pelo Gaeco, essa foi defalagrada no ano passado, e apura desvio de R$ 3 milhões do Hospital Regional Rosa Pedrossian, no entanto a denúncia não foi aceita pela Justiça, mas tramita na área civil, como improbidade administrativa. 

Também temos ocorrendo a Operação Antivírus, que resultou em ações na Justiça e levou a queda da cúpula do Detran. E ainda está na fase de inquérito a apuração do suposto pagamento de propina de R$ 67,7 milhões pela JBS ao governador, conforme a Operação Vostok, que tramita no Superior Tribunal de Justiça.

Fonte: *O Jacaré 

Deixe seu Comentário

TV MS

15 de maio de 2020
Ministério da Cidadania fala sobre auxílio emergencial
Ministério da Cidadania fala sobre auxílio emergencial

Últimas Notícias

Ver Mais Notícias
MS Notícias - Sua referência em jornalismo no Mato Grosso do SulRua José Barnabé de Mesquita, 948
CEP 79100.200 - Vila Duque de Caxias
Campo Grande/MS
 (67) 99309.8172

Editorias

Institucional

Mídias Sociais

© MS Notícias. Todos os Direitos Reservados.
Desenvolvimento Plataforma