05 de dezembro de 2020
Campo Grande 30º 24º

OVERDOSE

Médica 'rastejava no asfalto e espumava pela boca', dizem testemunhas

Um suposto diretor de jornal estaria no quarto de motel com a vítima antes da morte

Médica veterinária de 29 anos, que morreu após cheirar cocaína e sair surtada de um quarto de motel na Avenida Redentor, em Campo Grande e tentar se espremer contra os eixos de um caminhão, estaria no local, consumindo drogas com o diretor de um jornal da Capital, de 30 anos, que tem uma VW Amarok e abandonou o motel após tentativa frustrada de colocar a mulher dentro do veículo. A mulher morreu ontem, quinta-feira (16), por volta das 20h, segundo boletim de ocorrência. 

De acordo com o registro, o motorista do caminhão estacionou após ver a mulher vindo em sua direção, mas mesmo freando, a mulher teria tentado se encaixar entre os eixos do veículo. O homem, junto com outras testemunhas teriam tentado conter a mulher, que “espumava pela boca, rastejava e gritava alto”, segundo relatos.

Em determinado momento, a mulher caiu no chão desacordada, próximo ao caminhão baú, com placas de Guarulhos – SP.

A polícia foi acionada, no local, o socorro tentou reanima-la, mas sem sucesso. A vítima tinha pupilas dilatadas e dentro do motel, no quarto 8, em que estava com o suposto diretor de jornal, havia também restos de cocaína, que foi apreendida por Policiais da Delegacia de Pronto Atendimento do Centro (Depac) e encaminhada para a Delegacia Especializada em Repressão ao Narcotráfico (Denar). A perícia esteve no local nessa manhã (17). 

O advogado do suspeito foi até a delegacia nessa manhã. Pouco tempo depois, uma advogada, representando a mãe da vítima, também esteve na delegacia e pegou uma cópia do boletim de ocorrência. O caso foi registrado como morte a esclarecer e ficará a cargo da 3ª Delegacia de Polícia.

*Com G1 MS .