23 de setembro de 2020
Campo Grande 31º 17º

OPERAÇÃO OMERTÁ

Milícia deu ordem para matar delegado do Garras e promotor de MS

Documentos e escutas revelaram o plano dos milicianos

O Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado (Gaeco) está nas ruas, na manhã desta terça-feira (17, março). O Grupo cumpre 18 mandados de busca e apreensão nas cidades de Campo Grande, Sidrolândia, Aquidauana, Rio Verde e João Pessoa (PB). Na Capital de MS, um dos endereços da operação é na Rua 13 de Junho. As informações são do Correio do Estado.

Conforme apurado pelo site. A segunda fase da Operação Omertá, investiga um segundo plano traçado por presos e milicianos para tirar a vida do delegado titular na Delegacia Especializada de Repressão a Roubos a Banco, Assaltos e Sequestros (Garras), Garras Fábio Peró. Além do delegado, um promotor de Justiça e outras autoridades de Mato Grosso do Sul também estariam na mir4a de criminosos, segundo ligações interceptadas nas investigações.  

As conversas gravadas com autorização da justiça, revelam que presos estariam repassando ordens à advogados, no presídio de Mossoró (RN), para que pessoas específicas contratassem outras para efetuar o plano de execução dos agentes públicos. 

Conforme a polícia, um dos alvos foi promotor no caso do guarda municipal Marcelo Rios.  

Rios foi preso em outubro 2019, em uma casa bairro Monte Líbano, onde foi localizado pela polícia um arsenal de guerra que estava aos cuidados do ex-guarda-municipal. A prisão dele trouxe à tona a milícia coordenada pelos empresários Jamil Name e Jamil Name Filho, ambos presos no presídio de Mossoró, conforme o Correio do Estado.

Fonte: Correio do Estado.