28 de novembro de 2020
Campo Grande 36º 23º

ISIS OLIVEIRA

'O lixo é mais limpo que você', dizia marido antes de agredir atriz

Artista prestou queixa contra marido por agressão, dizendo que já foi esganada

 Um dia após denunciar o marido à polícia por agressão física e moral, Isis de Oliveira, 69, afirma estar muito assustada e com medo. Em entrevista, a atriz conta ter sido ameaçada e xingada pelo egípcio Hazem Roshdi, 35, com quem tem um relacionamento conturbado há seis anos.

A reportagem não conseguiu contatar Roshdi até conclusão deste texto.Uma das agressões, diz Isis, aconteceu no final da tarde desta quarta-feira (22), em sua casa no Rio de Janeiro, porque o marido estava irritado com o isolamento social e queria dinheiro para ficar em outro lugar até voltar ao Egito.

Musa nos anos 1980, a atriz fez novelas na Globo como "Roque Santeiro" (1985-1986) e "Que Rei Sou Eu?" (1989) e é irmã de Luma de Oliveira.

"Ele queria R$ 10 mil para ficar em algum lugar e depois voltar para o Egito. Eu falei: 'Não tenho esse dinheiro'. Aí ele foi ficando com raiva, chutou o ventilador, chutou o meu computador, dizia que ia quebrar a televisão [...] O mínimo que ele me chamava era puta, sua mulher de merda, e o lixo é mais limpo que você."

Duas semanas antes, Isis de Oliveira diz que ele já tinha a derrubado da cama e ido para cima dela com um travesseiro. Com medo, ela procurou por uma amiga, que a recomendou conversar com Luiza Brunet, que viveu situação semelhante com o empresário Lírio Parisotto.

Oliveira afirma que conversou com Brunet e recebeu apoio. "Ela falou que era uma situação perigosa e disse: 'Se acontecer outra coisa, a gente não pode telefonar, a gente não pode falar, tem que ser escondido. Você só vai mandar para mim a mensagem SOS."

Foi o que a atriz fez. Por volta das 20h desta quarta (22), policiais foram até a casa de Isis. "Quando tocou a campainha, e eram os policiais, eu abri, sai do apartamento e falei: 'Pelo amor de Deus me ajuda, ele está dizendo que vai queimar a casa'", relembra atriz, chorando.

Veja também: Médico sobre a Covid-19: 'você quer enxugar uma lágrima e não tem como'

Em viaturas separadas, ela e o marido seguiram até o 12º Distrito Policial, em Copacabana. Procurada pelo reportagem, a Polícia Civil informou que as investigações sobre o caso ainda estão em andamento.

De acordo com Isis de Oliveira, o marido é reincidente. Em 2017, ela conta que foi empurrada por ele o que casou um corte em sua sobrancelha. "Eu perguntava para ele: o que fiz? Aí ele veio com as duas mãos para me esganar. Eu não gritei, não fiz nada. Não sei o que aconteceu na cabeça dele, que ele parou, foi pegar gelo e colocou no meu olho."

Na época, a atriz prestou queixa da agressão à polícia e, por meio da lei Maria da Penha, conseguiu medida judicial na qual o marido deveria manter uma distância mínima de 200 metros dela e de qualquer pessoa de sua família.

Oliveira afirma que Roshdi foi para o Egito, mas retornou meses depois pedindo desculpas e dizendo que queria retomar o relacionamento. "Ele ficou falando que não sabia viver sem mim, aquela história que a gente cai... Infelizmente eu caí, esse foi meu erro", afirma. No ano passado, ela pediu para anular a ordem de restrição contra ele.

A atriz conta que o casamento era cheio de idas e vindas, e que ele passava parte tempo no Egito. A última vez que ele voltou foi em 10 de janeiro deste ano.Quando começou a quarentena por causa da pandemia do novo coronavírus, Isis de Oliveira diz que Roshdi começou a se sentir preso dentro de casa. "Ele dizia que não era velho para ficar em casa, mas ele estava me expondo, porque eu sou do grupo de risco, sou cardíaca, e tenho mais de 60 anos."

Foi quando, de acordo com a atriz, começaram os xingamentos, e ela disse a ele que o casamento tinha acabado. Ela também diz que Roshdi, por pelo menos quatro vezes, deu socos em suas costas enquanto ela dormia. "Eu levava um susto, gritava e ele falava: 'O que foi? Eu estava dormindo'."

Isis de Oliveira afirma que a medida de restrição contra o marido foi retomada após prestar queixa na polícia. Acompanhado de dois policiais, ele esteve no apartamento na noite de quarta para retirar os seus pertences.

"Estou muito nervosa, com medo, mas tem um lugar em mim que está em paz, porque a sensação, por um lado, é que eu me livrei de um perigo. Ao mesmo tempo, não me sinto tão segura como deveria me sentir, mesmo dentro de casa", diz a atriz.