27 de novembro de 2020
Campo Grande 35º 23º

Professores eram acostumados com brigas em escola diz delegada

Clayton Neves

Quase uma semana após a morte da estudante Luana Vieira Gregório em frente a escola onde estudava, a delegada Regina Márcia Rodrigues, responsável pelo caso disse que os professores da escola onde a menor estudava, não interferiram na briga porque já estavam acostumados com os constantes desentendimentos entre os alunos.

De acordo com a delegada os professores disseram que era comum haver aglomerações de alunos no horário da saída, por isso não deram tanta importância. “Os professores disseram que foi tudo muito rápido e devido os constantes desentendimentos entre os alunos, não foram até o local saber do que se tratava”, disse.

Segundo a delegada várias testemunhas já foram ouvidas e o inquérito está praticamente concluído. “Caso seja necessário ouvir mais alguém caberá a Deaij (Delegacia Especializada de Atendimento à Infância e juventude) fazer a convocação”, relata.

Questionada sobre o professor que possivelmente incentivava as menores a brigar a delegada disse que isso não passa de especulação. “Até o momento não tivemos essa informação, nenhuma testemunha ou envolvido no caso citou que algum professor desse incentivo à briga. Isso não passa de especulação”, afirma.

Relembre o caso: Luana Vieira Gregório de 15 anos morreu no último dia 11 após levar uma facada no abdômen na saída do colégio. A acusada do crime é uma colega de sala, de 16 anos. A faca acertou o fígado da adolescente.