29 de setembro de 2020
Campo Grande 37º 20º

Reconhecido homem enterrado como indigente na segunda-feira

O homem enterrado como indigente na segunda-feira, no cemitério Parque de Dourados, foi identificado pela mãe. Na manhã de ontem, Miguela Rossati Benitez, de 52 anos, moradora na Aldeia Bororó, Reserva Indígena de Dourados, se dirigiu ao 1° Distrito Policial acompanhada por lideranças da comunidade.

Ela reconheceu chinelo, calça, camisa e chaveiro como sendo pertences do filho, Jorge de Oliveira, de 27 anos, desaparecido desde o dia 31 de março.

Ela conta que na ocasião, o filho saiu de casa juntamente com a esposa, portando certa quantia em dinheiro; ele estaria à procura de um emprego.

No final da manhã de sábado, a polícia encontrou o corpo em avançado estado de decomposição, na mata localizada na região que compreende entre o Parque do Lago e o Jardim Estrela Porã.

A vítima apresentava sinais de violência e um corte no pescoço. Devido às condições, o corpo precisou ser enterrado na tarde de segunda-feira. A polícia colheu junto à mãe registros de DNA que serão enviados para Campo Grande, e comparados com o do filho, para ratificar o reconhecimento.

A esposa de Jorge está desaparecida desde o dia em que saiu com o marido, e é apontada como um dos principais suspeitos pelo crime. O caso segue em investigação.

Dourados Agora