21 de junho de 2021
Campo Grande 28º 13º

A mesma CUT que defendeu os mensaleiros faz protesto e chama Cunha de corrupto

Durante evento da Câmara Itinerante, o Parlamento se encontra aqui, realizado em Campo Grande, Eduardo Cunha teve que enfrentar protestos contra a PL 4330.

A- A+

Durante a sessão da Câmara Itinerante realizada na manhã de hoje no auditório da Federação das Indústrias de Mato Grosso do Sul (Fiems), membros da Central Única dos Trabalhadores (CUT) promoveram manifestação contra a aprovação do Projeto de Lei 4330, conhecido como PL da terceirização, gritando palavras de ordem contra os deputados do estado que votaram favoravelmente ao projeto e ainda que tenham defendido os réus do mensalão e se posicionem contra as investigações da Operação Lava Jato, chamavam o presidente da Câmara Federal, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), de corrupto por ter sua campanha financiada também por empresas investigadas na mesma operação.

Aproximadamente 150 manifestantes se postaram na entrada da Fiems e durante todo o evento gritaram palavras de ordem contra a aprovação do PL da Terceirização. Genilson Cunha, presidente da CUT, Eduardo Cunha age de forma truculenta ao impor um projeto que resultará na precarização das condições de trabalho, podem reduzir os salários em até 25% e aumenta o risco de acidentes de trabalho.

O presidente da Câmara, disse considerar normal e democrática a manifestação, mas disse preferir ter o projeto em discussão e votação a manter omissões na lei que prejudicam os trabalhadores. “O projeto está engavetado há 11 anos, não consideramos que essa seja a melhor forma de tratar a questão e chega a ser um desrespeito aos trabalhadores”, disse Cunha.

Chamado de corrupto pelos manifestantes pelo fato de ter parte de sua campanha financiada por empresas envolvidas no escândalo da Petrobras, Cunha não se manifestou a respeito, mas durante o evento defendeu o financiamento privado e disse que uma das soluções para evitar o atrelamento do cargo parlamentar às empresas financiadoras seria impedir o financiamento de campanha por todas as empresas que prestam serviços ou executam obras para o poder público.