28 de julho de 2021
Campo Grande 14º

Alceu Bueno diz que vai ao culto, mas viaja para promover jogos de futebol

A- A+

O vereador Alceu Bueno (PSL) aprontou mais uma de suas peripécias. Há duas semanas, diante dos escândalos envolvendo o vereador, que está sendo investigado por praticar crime ambiental, Alceu resolver dar um tempo da Câmara e da imprensa, e viajar.O curioso é que o vereador informou a seus amigos, colegas de trabalho e aos membros da igreja da qual participa que o motivo da viagem era religioso. Alceu faz parte da Igreja mundial do Poder de Deus e garantiu aos seu irmãos de fé que viajaria para Uberlândia para participar de um congresso religioso. No entanto, conforme pessoas próximas ao vereador, ele de fato foi para a cidade mineira, mas não para orar e sim para promover jogos de futebol. Alceu é parceiro da empresa Chá Chá Produções que promove jogos de futebol em todo Brasil. Na semana em que Alceu Bueno esteve me Minas Gerais, ele e seu parceiro, promoveram jogos do campeonato brasileiro. A empresa, em questão,  conforme informações obtidas pelo MS Notícias, possui uma série de suspeitas de irregularidades contra si. Em 2012, por exemplo, depois de realizar jogos de futebol em Fortaleza, (CE), a Chá Chá produções abandonou o estado deixando divida com fornecedores e funcionários contratados para os eventos. O vereador mais uma vez se envolve em histórias mal contadas e em atos irregulares. Alceu responde a processos por compra de votos nas eleições 2012, e recentemente se tornou alvo de um inquérito civil por ocupar há 20 anos uma área pública de Campo Grande onde construiu seu depósito de material de construção de forma irregular. Sem licença ambiental, e sem autorização para uso da área, que deveria ser destinada à construção de casas populares. Para finalizar o recente histórico do vereador Alceu Bueno, basta apenas um episódio. Na tentativa de se livrar da interdição de seu depósito, Alceu transferiu os materiais de contrução para um terreno próximo do Depósito Bueno. O terreno, no entanto, não é cercado e não há nenhuma licença ambiental para desenvolver atividades comerciais ali. Mais uma vez, o vereador está tentando driblar a lei para dar "seu jeitinho" de manter seu negócio funcionando.