23 de outubro de 2021
Campo Grande 30º 20º

Alceu Bueno é condenado a oito anos de prisão por pedofilia

A- A+

Juiz da 7ª  Vara Criminal de Competência Especial de Campo Grande, Marcelo Ivo de Oliveira condenou a oito anos de prisão o ex-vereador Alceu Bueno pelo envolvimento em escândalo sexual com adolescentes. A decisão foi divulgada na tarde desta quinta-feira (17) pelo Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul (TJ/MS). Alceu Bueno foi condenado pelos crimes exploração sexual de vulnerável, extorsão, corrupção de menores e associação para o crime e tráfico de menor para fins de exploração sexual. O ex-vereador vai pagar oito anos e dois meses, em regime fechado.

Assim como Bueno, o juiz também condenou o ex-deputado federal Sérgio Assis pelos mesmos crimes. O ex-deputado pegou seis anos, em regime semiaberto. Outro envolvido no escândalo de pedofilia, empresário Fabiano Vieira Otero foi sentenciado com 11 anos e 11 meses de prisão em regime fechado. De acordo com juiz, Otero se livrou dos 23 anos e 10 meses de reclusão, em função de acordo de delação premiada. O empresário respondeu pelos crimes de corrupção de menores  extorsão, exploração sexual de vulnerável, associação para o crime e tráfico de menor para fins de exploração sexual.

Já o empresário Luciano Roberto Pageu foi condenado pela justiça com 21 anos, sete meses e 20 dias em regime fechado pelos crimes de exploração sexual de vulnerável, corrupção de menores, associação para o crime e por dois crimes de extorsão, sendo absolvido do crime de tráfico de menores para fim de exploração sexual.

Na decisão do magistrado, ex-vereador Robson Martins sofreu condenação apenas por dois crimes de extorsão, pegando pena de nove anos e quatro meses de reclusão no regime fechado. Robson Martins foi absolvido pelo crime de associação, por falta de provas.

Entenda o caso

Em abril de 2015, o ex-vereador Alceu Bueno (sem partido) e o ex-deputado estadual Sérgio Assis (PSB) foram indiciados por suspeita de manter relação sexual com menor na forma de exploração, conforme especificado pelo artigo 218-b, parágrafo segundo do código penal.

Segundo investigações, Fabiano Viana Otero, Luciano Pageu e o ex-vereador Robson Martins teriam arquitetado esquema para extorquir dinheiro de políticos e pessoas consideradas figuras públicas no Estado. Conforme investigações, eles agenciavam encontros sexuais com adolescentes, que registravam tudo em câmeras escondidas para, depois, o material ser usado em chantagens e extorsão.

De acordo com os autos, o esquema teria sido esquematizado pelo empresário Fabiano Viana Otero, que teria a participação do ex-vereador Robson Martins. À época o ex-vereador negou envolvimento no caso alegando ser vítima de Alceu Bueno. As imagens gravadas por adolescentes vazaram para as redes sociais. A gravação deixa claro que as adolescentes confirmaram suas idades aos envolvidos.