23 de junho de 2021
Campo Grande 30º 17º

André discorda de Reinaldo e não vê necessidade de corte de comissionado

A- A+

O governador do Estado André Puccinelli (PMDB) afirmou discordar do governador eleito Reinaldo Azambuja (PSDB) a respeito da necessidade de cortar número de comissionados e reduzir secretarias para conter gastos do Estado.

Na opinião de  Pucicnelli, existem poucas secretarias que poderiam ser reduzidas, ente elas está a da juventude, e o número de comissionados no Estado, conforme governador é pequeno. Puccinelli relembra que quando assumiu havia 17 secretarias, e hoje são 14. Em relação ao número de funcionários, o governador explicou que hoje existem 3.726 comissionados, Puccinelli diz que Azambuja conseguirá economizar pouco com os cortes. Ele disse que não vê tanta elasticidade na redução de cargos nomeados para poder gerar economia.

Puccinelli alega que o número de cargos nomeados disponíveis na administração direta é de 2.002, e só 1.445 foram nomeados. Assim como na administração indireta, onde ele só contratou 1.881 dos 2,5 mil que poderia.

"O Reinaldo pode até fazer alguma economia, mas não será tanta quanto ele espera. Reduzir secretarias até pode, mas é preciso ver quais são as prioridades. Eu, por exemplo, gastei mais em economia e saúde. Nos últimos três anos, nosso Estado teve melhor aplicação  de recursos na área do país", explica. Sobre a redução do número de secretarias, Puccineli acredita que podem ser extintas apenas as da Juventude, criada este ano, e a da relações Institucionais com Municípios, também criada recentemente e comandada pelo ex-prefeito de Campo Grande Nelson Trad Filho (PMDB).

Heloísa Lazarini e Tayná Biazus