26 de janeiro de 2021
Campo Grande 30º 21º

André afirma que novo governador precisará ter pulso firme na economia

Em reunião na tarde de ontem, o governador André Puccinelli (PMDB) disse que desde que assumiu o governo, em 2007, houve uma economia mensal média de R$ 20 milhões com os repasses feitos a órgãos como MPE (Ministério Público Estadual), Assembleia Legislativa, Tribunal de Contas, Tribunal de Justiça e Defensoria Pública.

Puccinelli afirma que, se houver firmeza da próxima administração, principalmente em relação à arrecadação de tributos, o aumento não terá peso no orçamento. Em maio, o Governo do Estado repassou aos poderes R$ 104,5 milhões. Com o novo percentual que será destinado, o valor aumentaria para R$ 112,6 milhões.

O governador disse ainda que a LDO (Lei de Diretrizes Orçamentárias) de Mato Grosso do Sul, que dita as regras para os investimentos estaduais nos próximo ano, vai ampliar o percentual de repasse do Executivo para os outros poderes em 1,3% divididos entre os órgãos.

Segundo André Puccinelli, a Defensoria Pública terá um aumento de 1,5% para 1,8%. O TJ tem a fatia mais gorda, 6,8%, o equivaleu, em maio, a R$ 42,5 milhões. Para a Assembleia, o percentual atual é de 2,70%, um montante de R$ 16,9 milhões no mês passado. Para o TCE, são 2%, o que, em maio, representou R$ 12,5 milhões.

Ainda durante a reunião, o governador falou que os candidatos ao governo do Estado - Delcídio do Amaral (PT), Nelson Trad Filho (PMDB) e Reinaldo Azambuja (PSDB) - já foram avisados que haverá o aumento no valor a ser repassado. Karla Machado