27 de setembro de 2020
Campo Grande 39º 25º

André vai a Dourados e deve convidar Murilo a assumir suplência no Senado

O governador André Puccinelli (PMDB) cumpre agenda pública hoje em Dourados e aproveita a oportunidade para decidir alguns detalhes de seu futuro político. Segundo informações de fontes próximas ao prefeito de Dourados Murilo Zauith (PSB), Puccinelli deve almoçar com Murilo e convidá-lo para ingressar na chapa do peemedebista como suplente. O que mudaria o cenário político e surpreenderia até os mais próximos ao governador.

A jogada seria uma saída inteligente que agradaria a quase todos. Murilo deixa a prefeitura, que tem sido seu calcanhar de Aquiles, e realiza o sonho antigo de se tornar senador sem ter que disputar com André, que daria continuidade a sua carreira política de forma consagrada e ainda de quebra colabora com a pré-candidatura de Nelson Trad Filho ao governo do Estado, uma vez que sua presença ativa na chapa peemedebista angaria votos e aliados políticos.

Se por um lado, o PMDB agradece a entrada de André nos palanques eleitorais, o PSDB e o PT se deparam com grande problema. Embora, os tucanos afirmem categoricamente que não temem a disputa com André ao Senado, a realidade das ruas e do voto popular indica outros caminhos. Somado a isso, a executiva nacional do PSDB não pretende de forma alguma  abrir mão de um palanque próprio para o presidenciável Aécio Neves, atual senador pelo PSDB, e principal adversário político da presidente Dilma Rousseff (PT) que tentará se reeleger.

Desta forma, o deputado federal Reinaldo Azambuja (PSDB) terá grandes problemas para viabilizar sua pré-candidatura ao Senado. Até porque com a entrada de André no páreo, o próprio PT, de Dilma, fará questão, como já demonstrou quando o ministro chefe da Casa Civil, Aluizio Mercadante, conversou com Puccinelli em Brasília, que prioriza a aliança com o atual governador ao invés do PSDB. E nesse aspecto, o velho ditado que preconiza: "manda quem pode mais, obedece quem tem juízo", cai como uma luva sobre os petistas sul-mato-grossenses que talvez tenham que abdicar do desejo de se unir aos tucanos e replicar no Estado a parceria com PMDB, de André Puccinelli, que, certamente, será um grande cabo eleitoral para a pré-candidata à reeleição, Dilma Rousseff, e ela, obviamente, tem ciência disso.

Heloísa Lazarini