12 de junho de 2021
Campo Grande 25º 14º

Após acordo, Juvenal Neto será candidato de consenso na Assomasul

A- A+

O prefeito de Nova Alvorada do Sul, Juvenal Neto (PSDB), é o candidato de consenso à presidência da Assomasul (Associação dos Municípios de Mato Grosso do Sul), e a eleição será realizada no dia 16 de janeiro no plenário da entidade.

A composição de chapa única só foi possível graças à desistência do prefeito de Amambai, Sérgio Barbosa (PMDB), que aproveitou a assembleia-geral ocorrida na manhã de hoje na sede da entidade para apoiar o nome de Neto.

O objetivo dos prefeitos é trabalhar na construção de uma diretoria que contemple todos os partidos políticos e os consórcios públicos, visando à unidade dentro da instituição. Sérgio Barbosa disse que tomou a decisão de trabalhar em favor da unidade após ouvir os 25 prefeitos que haviam manifestado apoio a sua candidatura.

Ele disse que também conversou com Neto, com o governador Reinaldo Azambuja (PSDB) e com o chefe da Casa Civil, Sérgio de Paula, antes de tomar a decisão.

“Só não podemos abrir mão de uma pauta mínima que eu já entreguei para o Neto”, revelou o prefeito de Amambai, referindo-se a um documento com reivindicações de ações que devem ser desenvolvidas pela nova diretoria da associação a ser empossada no dia 30 deste mês.

Barbosa disse que resolveu recuar por entender que a unidade deve prevalecer dentro da entidade municipalista, evitando assim um possível racha. No entanto, avisou que não aceitará intervenções externas tanto do governo quanto de outros poderes, com reflexo negativo a autonomia da Assomasul.

“A Assomasul precisa dessa independência para o seu fortalecimento. Decidi abrir mão de minha candidatura, desde que o presidente não seja só o presidente do PSDB e que a Assomasul não seja um apêndice do governador. Eu também apoiei o governador no segundo turno, mas a Assomasul precisa manter a sua autonomia”, pontuou Barbosa, ao ser aplaudido  pelos cerca de 50 prefeitos que participaram da reunião na qual discutiu uma ação contra o governo federal para recuperar dinheiro perdido com a política de isenção fiscal.

Dany Nascimento