28 de fevereiro de 2021
Campo Grande 33º 21º

CONDENADO

Após ignorar assassinado pelo Exército no Rio, Bolsonaro se solidariza com Gentili

Presidente se calou diante do ataque ao carro de família, mas se disse solidarizado à comediante

 Após ignorar a morte de um inocente com 80 tiros pelo Exército do Rio e as dez mortes causadas por temporais na capital fluminense, o presidente Jair Bolsonaro prestou solidariedade ao apresentador Danilo Gentili, condenado condenado a seis meses e 28 dias de prisão por injúria contra a deputada federal Maria do Rosário (PT-RS). A sentença foi confirmada nesta quarta-feira (10) pela juíza Maria Isabel do Prado, da 5ª Vara Federal Criminal de São Paulo.

"Me solidarizo com o apresentador e comediante @DaniloGentili ao exercer seu direito de livre expressão e sua profissão, da qual, por vezes, eu mesmo sou alvo, mas compreendo que são piadas e faz parte do jogo, algo que infelizmente vale para uns e não para outros", postou o chefe do Planalto no Twitter.

A injúria contra a parlamentar aconteceu em um vídeo publicado pelo humorista em março de 2016; segundo a decisão da juíza, ele injuriou a deputada "ofendendo-lhe a dignidade ou o decoro, atribuindo-lhe alcunha ofensiva, bem como expôs, em tom de deboche, a imagem dos servidores públicos federais e a Câmara dos Deputados".

Com a solidariedade prestada por Bolsonaro a Gentili, vale ressaltar que o ministro do Supremo Tribunal Federal Marco Aurélio Mello rejeitou em fevereiro o recurso do presidente e manteve a decisão que havia determinado pagamento de R$ 10 mil de indenização por danos morais a Maria do Rosário, pois em 2014, quando ainda era deputado federal, ele disse que não estupraria a parlamentar, porque ela "não merece". Também afirmou que considera "ela muito feia" e ela não faz o "tipo" dele.