19 de abril de 2021
Campo Grande 31º 20º

Lava Jato

Após protestos, Ministério da Justiça reforça seguranças de ministros do STF

A decisão liminar do ministro do Supremo Tribunal Federal, Teori Zavascki, de tirar do juiz federal Sergio Moro as investigações relacionadas ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva fez com que grupos contrários à medida promovessem protestos pontuais em Brasília e em Porto Alegre, cidade em que vive o magistrado.

As manifestações obrigaram o Ministério da Justiça a reforçar a segurança institucional e pessoal de todos os ministros do STF. A pasta determinou que a Polícia Federal investigue possíveis “instigações e ameaças aos magistrados”.

Na noite de terça-feira (22), um grupo protestou em frente ao prédio onde Teori tem apartamento, em Porto Alegre. A manifestação ocorreu logo após o ministro determinar prazo de dez dias para que Moro envie ao Supremo documentos relacionados a Lula referentes à Lava Jato.

Uma enxurrada de críticas e ofensas ao ministro também tomaram conta das redes sociais. Sob o mote #OcupaSTF, o cantor Lobão, defensor do impeachment da presidente Dilma Rousseff, chegou a divulgar em sua conta do Twitter o endereço do filho de Teori, responsável pelos processos da Operação Lava Jato na Corte.