24 de outubro de 2020
Campo Grande 29º 23º

Assis contradiz Moka e garante que senador foi o primeiro a defender apoio a Eduardo Campos

O vice-presidente do PSB (Partido Socialista Brasileiro), Sérgio Assis foi pego de surpresa ao saber que o senador Waldemir Moka, do PMDB, declarou que irá seguir a decisão do governador André Puccinelli (PMDB) em relação ao apoio do partido à reeleição da presidente Dilma Rousseff (PT). Assis garante que Moka foi o primeiro a defender que o PMDB apoiasse a pré-candidatura do presidenciável Eduardo Campos (PSB) em Mato Grosso do Sul.

“O Moka foi o primeiro a defender o apoio ao Campos, tanto que ele fez uma reunião no apartamento dele em Brasília, com a presença do Pedro Simão e do Jarbas Vasconcelos do PMDB para defender apoio ao nosso pré-candidato”, explica o vice-presidente.

Para Assis, Moka e todo PMDB deve se unir em torno da decisão do pré-candidato do partido ao governo do Estado, Nelsinho Trad e apoiar  Eduardo Campos. O vice-presidente regional do PSB acredita ser impossível o PMDB no Estado apoiar Dilma. “Temos que ser realista e entender que essa possibilidade não existe no nosso Estado. Isso não vai acontecer, o Nelsinho já conversou com o Eduardo Campos aqui em Campo Grande e garantiu que PMDB e PSB devem caminhar juntos nas eleições de 2014”.

O PSB foi convidado por Nelsinho para indicar um vice-governador e um suplente de senado na chapa do PMDB e segundo Assis, os nomes dos pré-candidatos a deputados estaduais e federais do partido serão analisados e até o dia 30 de maio, o PSB deve indicar nomes a Nelsinho.

O PSB oficializou que irá apoiar Nelsinho nas eleições de 2014, no entanto, o PMDB ainda não formalizou o convite feito por Nelsinho e o presidente estadual do partido, deputado Junior Mochi, garantiu que a decisão será tomada em conjunto com o partido depois de uma reunião do diretório.

 Dany Nascimento