24 de janeiro de 2021
Campo Grande 29º 22º

Governo de MS

Azambuja assume de olho em Bolsonaro e nas finanças de MS

A saúde financeira de Mato Grosso do Sul e a atenção diferenciada ao Estado, prometida por Jair Bolsonaro (PSL) durante a campanha eleitoral, estão no alvo das principais preocupações de Reinaldo Azambuja (PSDB). Ele e seu vice, Murilo Zauith (DEM), após rápida coletiva aos jornalistas na sala da presidência e da revista às tropas da Polícia Militar diante do Palácio Guaicurus, tomaram posse em concorrida cerimônia no Plenário Júlio Maia, recinto de debates da Assembleia Legislativa.

Azambuja começa hoje (terça, 1º) seu segundo mandato consecutivo e Zauith também assume, mais uma vez, a vice-governadoria – cargo que já ocupou na primeira gestão de André Puccinelli (MDB), de 2007 a 2010. Ao lado da esposa, Fátima, de Zauith, dos deputados Júnior Mochi (MDB), presidente da AL, e Paulo Corrêa (PSDB), próximo a comandar a Mesa Diretora, Azambuja falou de sua determinação em reduzir os gastos e controlar o custeio. “Para cortar nós temos que ir ao que mais absorve recursos do Tesouro: a folha de pagamentos”, sintetizou.

No entanto, esses cortes serão bem planejados e direcionados de acordo com critérios de justiça e de qualificação, sem nenhum tipo de “caça às bruxas” ou de esvaziamento estrutural. “Precisamos de um Estado ágil, leve, enxuto, mas justo, que valorize o servidor e valorize os cidadãos, porque eles precisam de um serviço publico qualificado”, afirmou. Sobre o conjunto de desafios e metas o governador disse que nesta quarta-feira, 2, terá a primeira reunião com parte dos secretários para alinhavar “alguns pontos da estratégia de governança a ser implementada”.

CONCEITOS - As perguntas foram respondidas quase de forma genérica e abordando ângulos conceituais, como a transparência, a responsabilidade fiscal, a eficiência gerencial e a retomada do desenvolvimento com inclusão social e sustentabilidade. Depois de elogiar e agradecer os deputados pelo papel desempenhado na defesa dos interesses do Estado e aprovando medidas de seu governo, Azambuja frisou que está com empenho ainda maior para avançar as conquistas do primeiro mandato nas áreas de infraestrutura, diversificação e fortalecimento das economias e melhoria dos serviços básicos.

Segundo Reinaldo Azambuja, o presidente Jair Bolsonaro deu a ele a certeza de que Mato Grosso do Sul merece atenção máxima por causa de fatores diferenciados que interessam a todo país, em especial nas áreas do agronegócio, segurança, expansão industrial e integração com os vizinhos da América do Sul. Ao ressaltar que os dois sulmatogrossenses no primeiro escalão do Planalto – os ministros Luiz Henrique Mandetta (Saúde) e Tereza Cristina (Agricultura) - serão peças-chave das políticas de desenvolvimento e inclusão, o governador reiterou sua confiança nos compromissos de Bolsonaro: “O País vinha dando sinais de crescimento, porém nos últimos quatro anos caiu no fosso da recessão. Agora temos um cenário novo de construção para reaquecer a economia e alavancar as mudanças que, beneficiando o País, vão beneficiar nosso Estado”.