25 de junho de 2021
Campo Grande 30º 19º

Azambuja se encontra com André para garantir mais verba para saúde e segurança

A- A+

O governador eleito Reinaldo Azambuja (PSDB) chegou há pouco na Governadoria onde se reúne com atual governador André Puccinelli (PMdb) para discutir pontos importantes da transição de governo.

Reinaldo conversou com a imprensa assim que chegou e reiterou seu compromisso de ampliar o valor de recursos destinados à saúde e à segurança pública. "Vim conversar com o governador para saber quais são oa prazos atuais do governo, o que há de comprometimento do orçamento, o que já deve ser pago em janeiro, as dívidas contraídas, empréstimos para que eu possa organizar nossas ações a partir de janeiro, priorizando o que foi a tônica da nossa campanha que é criação do mutirão da saúde", explica.

Sobre a equipe que irá coordenar este trabalho Azambuja destaca que os nomes já foram praticamente todos definidos e que os membros dessa equipe conhecem as secretarias e o funcionamento delas. "São nomes de nossa confiança, alguns são técnicos que conhecem muito bem o funcionamento das secrtarias e outros são pessoas que irão integrar nosso governo em 2015", diz Reinaldo. Sobre composição do secretariado a partir de 2015, Azambuja adiantou que anunciará os nomes em dezembro deste ano.

O governador eleito ressaltou que uma das prioridades é garantir po término das obras do Hospital regional de Dourados e do Hospital  Regional de Três Lagoas. "Essas obras são prioridade, pois são muito importantes para população. Nosso objetivo é atender de imediato aquilo que é mais urgente para população."

Reinaldo explicou que pretende ocupar espaço já construídos, como hospitaisl de Nova Andradina, Coxim e Ponta Porã, para implementar o mutirão da saúde e regionalizar o serviço no Estado. Outro ponto considerado prioridade para governador eleito é a convocação dos remanescentes do concurso da Polícia Militar, Civil e dos Bombeiros.

Governabilidade

Reinaldo destacou que pretende conversar em breve com os deputados da Assembleia Legislativa, mas ressaltou que não irá interferir na escolha do novo presidente da Casa. "Essa questão da presidência deve ser discutida na Assembleia entre os deputados. Acredito que vamos construir uma base de apoio para ter governabilidade e tranquilidade no relacionamenro com legislativo. Nós que estivemos ali dentro temos grandes amigos e muitos deles têm compromisso com Estado. Não vejo nenhum problema de quem for presidente ter bom relacionamento com governo", finaliza.

Heloísa Lazarini e Leide Laura Meneses