01 de maro de 2021
Campo Grande 33º 21º

Bancada do PT critica prisão de amigo de Lula pela Polícia Federal “é boicote político”

Após a Polícia Federal deflagrar nesta terça-feira (24) pela manhã, a Operação Passe Livre, que é a 21ª fase da Operação Lava Jato, prendendo o empresário e pecuarista Carlos Bumlai (que é amigo do ex-presidente Lula), a bancada do PT na Câmara criticou a imprensa nacional e a própria operação, por acreditar ser perseguição política. 

O vereador Alex do PT, afirmou durante sessão desta terça-feira (24) que “É um absurdo fazerem uma coisa dessas, numa investigação que deveria ser isenta e imparcial. Isso não passa de perseguição política fazendo relação ao PT, principalmente pela atitude da imprensa nacional. A Justiça tem que fazer o papel de magistratura, querem acabar com a imagem do Lula, a própria prisão desse pecuarista deveria ser mais um procedimento das investigações e não um “show”. Querem destruir o PT por que Lula vem em 2018, mas eles não vão conseguir, isso não passa de boicote político”, decretou Alex.

A vereadora Thais Helena (PT) também adotou o discurso do colega e levantou suspeita de “manobra para desestruturar o partido”. “Nós sabemos que querem arranhar a nossa imagem, os opositores estão tentando nos destruir, mas sabem que isso está longe de acontecer, primeiro a Dilma, que é claro, está passando por crises, mas ela já está sabendo se recuperar e aos poucos voltaremos a normalidade. A questão da prisão, querem envolver o Lula pela figura forte e política que ele é, mas tenho certeza que não vão conseguir”, diz a vereadora. 

Prisão

De forma preventiva, o empresário Carlos Bumlai foi preso, (que é amigo do ex-presidente Lula) e está em Brasília. O pecuarista prestaria depoimento à CPI do BNDES nesta terça. Ele estava no hotel Golden Tulip, a poucos metros do Palácio da Alvorada. Bumlai será levado para a Superintendência da Polícia Federal em Curitiba.

Em Mato Grosso do Sul, a Polícia Federal já cumpriu mandados de busca e apreensão de documentos em escritório que fica no 6º andar do Edifício Comercial Afonso Pena, no centro da Capital, e também na Usina São Fernando, em Dourados. A usina pertence a Bumlai. Segundo informações apuradas pelo MS Notícias, nada foi levado pelos policiais federais durante cumprimento do mandado no escritório no centro comercial da Capital, que seria da assessoria de um bano.