25 de setembro de 2020
Campo Grande 36º 22º

ENTREVISTA

Bolsonaro diz que não apoiará nenhum candidato à prefeito do PSL nas eleições 2020

Presidente desbanca pré-candidatos que queriam surfar na onda bolsonarista em MS

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) falou em entrevista exclusiva ao programa de rádio Boca do Povo da 101,9 FM nesta 4ª-feira (19. agosto), que não vai apoiar nenhum candidato do PSL ou de qualquer partido que esteja concorrendo à prefeito nos municípios brasileiros.  

Bolsonaro atrasou 20 minutos para entrevista de rádio onde foi bastante elogiado pelo radialista e jornalista Benedito de Paula Filho, conhecido como B de Paula. De acordo com o apresentador de programa de rádio, o presidente foi “ovacionado” em sua visita oficial para inauguração de radar da Força Aérea Brasileira (FAB) em Corumbá no dia de ontem, 18 de agosto. Ele chegou por volta das 10h no município. 

“Eu pretendo ficar fora das eleições municipais, não devo apoiar nenhum candidato a prefeito, talvez algum candidato a vereador, tudo bem!”.

B de Paula questionou o presidente sobre o preço da gasolina. Bolsonaro justificou que o monópolio é o que encarece o produto, para o presidente o caminho seria abrir o mercado. Bolsonaro disse que gasolina baratiou do ano anterior para esse ano. Porém, Bolsonaro falou muito sobre o preço do gás.  

"Nós gastamos um total de R$ 70 bilhões para combater o vírus, mas também combater o desemprego", disse o presidente. Bolsonaro voltou a dizer que o "o vírus mata, mas o desemprego também mata". Na visão do presidente a economia superará e o país tem condições de sair bem do período pandemico.  

Bolsonaro também voltou a acusar a imprensa de tentar atingir o seu governo. "O tempo todo é fofoca e intriga", comentou Bolsonaro. 

B de Paula disse que está provado que hidroxicloroquina é eficaz no tratamento contra coronavírus. Massageado, Bolsonaro disse observou no mundo e com isso decidiu investir na hidroxicloroquina. "Não tinha nada para oferecer para a população, eu investi na hidroxicloroquina no bom sentido, e o Brasil começou a receitar... Eu procurei o Mandetta para autorizar a hidroxicloroquina só em caso grave...". Para Bolsonaro o fora da bula, usar remédio sem comprovação cientifica, sempre existiu. 

Bolsonaro disse que o Brasil receberá 11 milhões de doses da no caso da vacina da Universidade de Oxford, onde é utilizado um adenovírus. Esse vírus é geneticamente modificado para se tornar fraco, ou seja, não infeccioso e incapaz de se replicar no corpo humano. Os pesquisadores inserem neste vírus uma parte do coronavírus também modificada e não infecciosa, uma proteína. O presidente disse que o Brasil investiu nesta pesquisa, que está em terceira fase de teste. E para ele, no final de setembro já devem ter resultados. O presidente disse ainda que Rodrigo Maia dará encaminhamentos a Lei de arma de fogo no Brasil.