05 de maro de 2021
Campo Grande 28º 21º

30% AO RETROCESSO

Bolsonaro é alvo de seus eleitores: manifesto frente à universidades públicas após cortes

Governo que estava 'mal das pernas', se vê diante protestos com má gestão

 Alunos, pais e professores de colégios federais do Rio realizam, na manhã desta segunda-feira (6), uma manifestação em frente ao Colégio Militar do Rio de Janeiro, na Tijuca, Zona Norte. O presidente Jair Bolsonaro participou de solenidade de comemoração pelos 130 anos da instituição.

O Ministério da Educação (MEC), chefiado por Abraham Weintraub, anunciou na semana passada o corte de verba de 30% das universidades e institutos federais. Entre eles, o Colégio Pedro II (CPII), um dos mais tradicionais da cidade, com 13 mil alunos. 

Além do CPII, participam do protesto estudantes do Instituto Federal de Ciência e Tecnologia (IFRJ), do Centro Federal de Educação Tecnológica Celso Suckow da Fonseca (Cefet-RJ), do  do Colégio de Aplicação da Universidade Federal do Rio de Janeiro (CAp-UFRJ) e da Fundação Osório.

O ministro alegou suposto mal desempenho em determinadas instituições de ensino superior e "balbúrdia", que, segundo ele, são reflexo de eventos impróprios para essas localidades e de manifestações partidárias. A medida do ministro se soma à vigência da PEC do Teto dos Gastos, que prevê o congelamento de investimentos públicos por 20 anos. O corte de verbas também abre espaço para a privatização de instituições educacionais.