27 de novembro de 2020
Campo Grande 35º 23º

RESPONSABILIDADE

Bolsonaro elege 'culpa' das mortes pelo vírus a governadores e prefeitos

Bolsonaro tenta engananar a opinião pública afirmando que o STF teria determinado a "total responsabilidade" de prefeitos e governadores para conter os impactos da pandemia

Jair Bolsonaro usou suas redes sociais nesta segunda-feira (8.junho) para se livrar da responsabilidade de ter tornado o Brasil o epicentro da pandemia da Covid-19. Como se não fosse o presidente da nação. Em tuíte, Bolsonaro falseou os termos da decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) que deu a governadores e prefeitos o poder de resolver sobre o funcionamento do comércio e o isolamento social nas cidades e estados. Praticamente, elegeu toda a "culpa" das más ações políticas aos gestores estaduais e municipais. Quando, na verdade, foi Boslonaro que incentivou o povo a quebrar o isolamento e levanta constantemente suspeitas sobre a existência do vírus. Que segundo a grande a maioria dos apoiadores dele [Bolsonaro] de extrema-direita, é só "uma gripezinha"

Bolsonaro tentou engananar a opinião pública afirmando em seu tweet que o STF teria determinado a “total responsabilidade” de prefeitos e governadores para conter os impactos da pandemia. 

"Lembro à Nação que, por decisão do STF, as ações de combate à pandemia (fechamento do comércio e quarentena, p.ex.) ficaram sob total responsabilidade dos Governadores e dos Prefeitos", alegou Bolsonaro.

A decisão do Supremo assegurou aos prefeitos e governadores autonomia suficiente para tomar medidas com o objetivo de conter a propagação da Covid-19, mas sem retirar da União a competência necessária para realizar ações e buscar acordos com as autoridades locais. 

No Twitter, a professora de Direito da FGV-SP, Eloísa Machado, respondeu a postagem de Bolsonaro. Ela destaca que o argumento de Bolsonaro está “Errado”, e que o "STF disse que Municípios, Estados e União, TODOS, têm competência e dever de adotar medidas de proteção à saúde”, informou o O Estado de S. Paulo.

Fonte: Brasil 247.