28 de setembro de 2021
Campo Grande 36º 22º

PANORAMA

'AO VIVO': Bolsonaro fala após reunião com chefes dos poderes e ministros

Manobra evasiva para dispersar críticas acontece no pior momento da pandemia, após troca "às escondidas" na pasta da Saúde

A- A+

Na manhã desta 4ª feira (24.mar.2021), o presidente Jair Bolsonaro (Sem partido) convocou uma reunião com os presidentes dos três poderes,  o procurador-geral da República, Augusto Aras, e o vice-presidente do TCU, Bruno Dantas e logo depois incluiu o 1º escalão de ministros e governadores de última hora, para o encontro no Palácio da Alvorada onde serão discutidas medidas de combate à pandemia.

Segundo apurado pelo comentarista político da GloboNews, Gerson Camarotti, o movimento foi uma tentativa para dispersar críticas. Até mesmo o ex-ministro da Saúde, Gen. Eduardo Pazuello - substituído ontem (23.mar.2021) por Marcelo Queiroga - passou a integrar a lista.

“O presidente viu que seria emparedado numa reunião mais restrita e decidiu colocar uma tropa de choque para diluir a reunião”, argumentou o colunista do G1 em seu blog.

Até mesmo a posse de Queiroga, que demorou para acontecer, se deu "às escondidas" fora da agenda oficial do presidente, em uma cerimônia reservada, por medo de represálias. Bolsonaro utilizou ontem (23.mar) o espaço em rede nacional de televisão e rádio para prometer vacinas, no dia em que o Brasil registrou a triste marca de três mil mortes em 24h.

Antes, eram previstas até o dia 30 de abril a entrega de 57,1 milhões de doses, alteradas na fala do presidente nesta 3ª feira para 47,3 milhões. De acordo com informações levantadas pelo portal G1 Política, devido a essa alteração, o Ministério da Saúde indica que o Brasil receberá 9,85 milhões de doses a menos no próximo mês.

Vinte e um ministros, o ex e atual ministro da saúde e as seguintes autoridades foram listadas para participarem da reunião na residência oficial da Presidência da República:

  • Hamilton Mourão, vice-presidente da República;
  • Luiz Fux, presidente do Supremo Tribunal Federal (STF);
  • Rodrigo Pacheco (DEM-MG), presidente do Senado;
  • Arthur Lira (PP-AL), presidente da Câmara dos Deputados;
  • Augusto Aras, procurador-geral da República;
  • Bruno Dantas, ministro do Tribunal de Contas da União.

Além dos governadores:

  • Romeu Zema (Minas Gerais);
  • Ronaldo Caiado (Goiás);
  • Renan Filho (Alagoas);
  • Wilson Lima (Amazonas);
  • Ratinho Júnior (Paraná);
  • Marcos Rocha (Rondônia);

Após a reunião com chefes dos poderes e ministros, Bolsonaro prometeu pronunciamento, que você confere aqui: