25 de setembro de 2020
Campo Grande 36º 21º

PSD conversa com Reinaldo Azambuja sobre aliança em 2014

A entrada do deputado federal Reinaldo Azambuja na disputa eleitoral deste ano começa a dar os primeiros sinais de que haverá mudanças no quebra-cabeça político sul-mato-grossense.

Partidos que até então estavam próximos ao pré-candidato do PMDB Nelson Trad Filho, hoje, começam a considerar a formação de uma aliança com Azambuja. O PSD (Partido Social Democrático), é um dos partidos que pode rever seu posicionamento.

Segundo o vice-presidente do partido em Mato Grosso do Sul, João Bosco Martins, o PSD está conversando com Nelson Trad Filho (PMDB) e também com Reinaldo Azambuja (PSDB) sobre possíveis alianças, mas nada foi definido até o momento. “Estamos conversando, mas nada foi definido, temos conversado com o Nelsinho que é muito amigo do presidente do partido, Antonio João Hugo Rodrigues e também com Reinaldo Azambuja, mas não estamos mais próximo de um ou de outro, estamos dialogando”, afirma Bosco.

Segundo Bosco, o partido pretende seguir dialogando com PSDB e PMDB  até dia 30 de junho, data limite para as convenções partidárias. “Até o dia 30 de junho temos muito o que conversar e algo só será definido depois, o momento agora é de conversar”.

A incógnita em relação ao apoio do PSD deve se estender até junho. Até porque a executiva nacional do partido tem tratado o assunto aliança política de forma independente em alguns estados. Nacionalmente, o PSD havia declarado apoio a Dilma, ainda em 2013. No entanto, depois de algumas dissidências,  em estados como Rio de Janeiro, por exemplo, o partido irá apoiar o presidenciável Aécio Neves (PSDB). Já em São Paulo, o PSD trabalha com a pré-candidatura de Gilberto Kassab ao governo do Estado, que irá enfrentar o pré-candidato petista Alexandre Padilha, ex-ministro da saúde no governo Dilma.

Embora o vice-presidente regional do PSD afirma que, por enquanto, existe apenas um diálogo com o tucano Reinaldo Azambuja,

Heloísa Lazarini e Dany Nascimento