25 de outubro de 2020
Campo Grande 32º 22º

Campanha de Azambuja vai dar tratamentos específicos a PT e PMDB

Sem agressões, mas agressiva e propositiva. Este é o conceito norteador da campanha que pretende fazer o deputado federal Reinaldo Azambuja (PSDB) para pedir o voto do eleitorado ao seu propósito de suceder o governador André Puccinelli. Enquanto prepara a convenção, o partido vem discutindo o formato da campanha, que já vinha sendo delineado pelo pré-candidato antes mesmo de encerrar as conversas com o senador Delcídio Amaral e o PT.

De antemão, segundo se apurou, Azambuja mira um cenário de disputa  no qual pretende conservar abertos os canais de diálogo com seus dois principais concorrentes, o favorito Delcídio Amaral (conforme as pesquisas divulgadas até agora) e o peemedebista Nelson Trad Filho. Mesmo desobrigado de parcimônia com o partido que é o maior adversário do PSDB, Azambuja não vai recorrer na sucessão estadual à mesma linguagem  incendiária empregada pelos tucanos em nível nacional para atacar o partido da presidenta Dilma e o governo dela.

Quanto ao PMDB, Reinaldo Azambuja vai manter o discurso crítico, mas sem enveredar pela maledicência ou pela grosseria. Será duro e contundente. Precisa ratificar os argumentos que desembainhou em 2012 para desgarrar-se dos peemedebistas e candidatar-se à Prefeitura de Campo Grande, quase tirando o candidato do PMDB Edson Giroto do segundo turno e sendo decisivo para alargar a margem da vitória de Alcides Bernal. E, ademais, seu bom desempenho naquele pleito muito se deveu ao discurso mudancista, quase plebiscitário, no qual atacava os 20 anos de hegemonia do PMDB e taxava esse mando de modelo esgotado.

Em relação ao PT, de início a tendência é ser menos ácido nas críticas. Porém, terá necessidade de marc ar bem as diferenças entre ele e Delcídio, entre seu partido e o PT. De qualquer forma, Reinaldo Azambuja não ignora que seus desafios centrais para as táticas e a estratégia de enfrentamento serão, num primeiro momento, definir a cara e o conteúdo de sua campanha, mas com uma solução em que seja capaz de administras as distâncias de seus adversários e calibrar as doses de ataque, de olho num eventual segundo turno.

Edson Moraes