12 de junho de 2021
Campo Grande 25º 14º

Candidatura em risco: Marquinhos vê chance zero de continuar no PMDB

A- A+

Com seu nome confirmado no topo das primeiras pesquisas de sondagem sobre a sucessão local em 2016, o deputado estadual Marquinhos Trad não disfarça o desconforto que vive dentro do PMDB, especialmente depois dos choques com André Puccinelli, a liderança maior do partido. Já no recente processo de entendimento para construção de consenso na Assembleia Legislativa, Marquinhos foi a única voz destoante da bancada peemedebista que fechou apoio em torno da candidatura de Júnior Mochi para presidir a Mesa Diretora. Marquinhos não se manifestou abertamente contra o candidato do seu partido, preferiu a mensagem dúbia de que votaria em quem se comprometesse a abrir as contas do poder e atacar todos os nichos de irregularidades. Para bom entendedor...

No domingo, pouco antes da sessão de investidura dos deputados e eleição da Mesa Diretora, os jornalistas, de forma geral, interpretavam a existência de um distanciamento postural e retórico entre Marquinhos e correligionários que não fazem parte de seu grupo. E à imprensa o próprio deputado confessou ser de zero por cento a chance de continuar no PMDB.

Para concorrer à Prefeitura em 2016 sem o risco de sofrer uma ação de perda de mandato com base na lei da inelegibilidade, o caminho seguro é ingressar numa legenda com registro novo no Tribunal Superior Eleitoral. A Rede Sustentabilidade, idealizada por Marina Silva, seria uma das alternativas dentro desse critério.

Mas Marquinhos ainda teria outros abrigos para, se necessário, garantir-se mediante argumentos que já salvaram da degola outros políticos que trocaram de sigla, como seu colega de parlamento Lídio Nogueira. O PSD seria uma desses abrigos. A reativação de algumas legendas, como o PL, pode figurar ainda na expectativa do deputado, que vê se reduzirem as chances de ganhar as bênçãos do PMDB para concorrer em 2016, ainda que seja o atual líder das pesquisas dentro do partido.