08 de dezembro de 2021
Campo Grande 32º 22º

Política

Cine Cultura é ferramenta de transformação na Penitenciária da Gameleira I

A- A+

Filmes transmitidos a internos da Penitenciária Estadual Masculina de Regime Fechado da Gameleira I estão ajudando a promover troca de experiências e a autorreflexão, com foco na ressocialização dos apenados.

O projeto "Cine Cultura: Um olhar através das grades" exibe obras com temas sociais importantes e estimula o debate entre os participantes. Dentre os assuntos já abordados estão drogadição (abstinência e recaídas); amizades positivas e negativas; sonhos perdidos; superação; prostituição; homossexualidade; violência; crimes; esporte; religião e família.

A iniciativa existe há nove meses e objetiva ajudar na mudança de comportamento dos custodiados, além promover a resiliência frente à dificuldade do convívio em grupo e no cárcere, de forma a contribuir também para a ordem e disciplina dentro da unidade penal.

Desenvolvido pela direção do presídio, em parceria com o Setor Psicossocial e equipes de segurança, os filmes são passados aos sábados e mediados pela servidora penitenciária, psicóloga Sônia Nascimento da Silva.

"Houve uma boa adesão ao projeto por parte dos internos, além de ser um momento de interação, possibilita a autorreflexão, promovendo a qualidade de vida e a reinserção social através da cultura", explica Sônia. "Ressignificando os participantes de forma assertiva no domínio próprio e tomada de decisão", complementa.

Além da transmissão dos filmes, diferentes temas são debatidos em grupo.

"A Cabana" e "Diário de um Adolescente" estão entre os longas-metragens exibidos aos reeducandos. A cada semana, o projeto contempla, em média, 30 participantes diferentes, de forma a atender toda a massa carcerária. Durante o filme, também são distribuídos pipoca e suco aos apenados. Apenas custodiados com boa disciplina podem participar.

O diretor-presidente da Agepen, Aud de Oliveira Chaves, destaca que a ressocialização pode ser trabalhada de diferentes formas. "Além de expressão cultural, o cinema possui grande potencial pedagógico, uma vez que é muito mais fácil de absorver informações através de estímulos audiovisuais", comenta.

Educação e Trabalho

Reeducandos têm acesso ao ensino pelo sistema EJA.

Na unidade prisional, além do Cine Cultura, outras frentes de reintegração social são promovidas, como ensino regular no sistema EJA (Educação de Jovens e Adultos) oferecido em parceria com a Secretaria de Estado de Educação (SED), e o projeto de estímulo à leitura, com remição de pena, realizado em conjunto com a Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (UEMS).

Além disso, internos trabalham na oficina de costura de bola e na de confecção dos próprios uniformes.

De acordo com o diretor da penitenciária, Maycon Roslen de Melo, também está programado para ter início ainda este mês  ensino superior à distância, com cinco alunos já matriculados.

Texto: Tatyane Santinoni e Keila Oliveira.

Fonte: Governo MS